sicnot

Perfil

Desporto

FIFA alerta contra participação de Pilro e Gerrard em "particular" no Kuwait

A FIFA alertou hoje as federações de todo o mundo para impedirem os seus futebolistas de participarem no jogo "All Stars", no Kuwait, onde a organização de jogos oficiais está suspensa pelo organismo.

Ringo H.W. Chiu

O anúncio, apesar de não referir quaisquer nomes, afeta os "veteranos" Andrea Pirlo (Itália) e Steven Gerrard (Inglaterra), ainda no ativo no campeonato nacional dos Estados Unidos (MLS -- Major League Soccer).

Ambos foram convidados, assim como outros jogadores retirados, nomeadamente o português Luís Figo e o luso-brasileiro Deco, para participar numa equipa de "consagrados" que disputará, a 18 de dezembro, um jogo particular com uma formação de "estrelas" do Kuwait.

A notificação hoje tornada pública foi distribuída pelas 209 federações-membro da FIFA, alertando contra a participação, no 'amigável', de jogadores inscritos oficialmente.

A suspensão, em outubro, do Kuwait significa que o país "não está autorizado a fazer parte de jogos ou competições internacionais" enquanto a mesma durar, esclarece a nota da FIFA, a que a Agência France Press teve acesso.

A FIFA e o Comité Olímpico Internacional suspenderam o Kuwait devido à interferência do governo nas atividades desportivas naquele país do Médio Oriente.

Segundo a organização do jogo, marcado para o estádio Jaber Al-Ahmad, estão também já confirmados na equipa Football Champions Tour o brasileiro Ronaldinho, o inglês Paul Scholes, o francês Robert Pires, o espanhol Carles Puyol e os italianos Gianluca Zambrotta e Alessandro del Piero.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.