sicnot

Perfil

Desporto

"Preferimos não adiantar todos os detalhes", diz o presidente da NOS

"Preferimos não adiantar todos os detalhes", diz o presidente da NOS

Está assinado o acordo entre o Benfica e a NOS, para distribuição dos jogos dos encarnados, em casa. Durante a cerimónia, presidente da NOS disse que "preferimos não adiantar todos os detalhes". Sabe-se, agora, o valor total para o período de 10 anos deste acordo atinge os 400 milhões de euros.

  • Contrato entre o Benfica e a NOS está assinado
    1:43

    Desporto

    Está assinado o acordo entre o Benfica e a NOS, para distribuição dos jogos dos encarnados, em casa. Durante a cerimónia foram divulgados mais alguns detalhes do contrato, mas há ainda questões por responder. Ainda não é certo onde vão ser transmitidos os jogos do Benfica. A Sport TV é apenas uma hipótese, entre outras. A Benfica TV passa a ser grátis para os clientes da NOS e vai transmitir os encontros da equipa B, dos escalões de formação e modalidades. Quanto às ligas francesa e italiana, ficou ainda por esclarecer, onde vão ser transmitidas, a partir da próxima temporada. Com este negócio, a NOS garante ainda os direitos para a distribuição dos jogos no estrangeiro. O objetivo da operadora, agora, é assinar contratos similares com todos os clubes de futebol profissional e negociar os direitos com a concorrência.

  • Luís Filipe Vieira diz que "o país é pequeno para a marca Benfica"
    0:14

    Desporto

    Está assinado o acordo entre o Benfica e a NOS, para distribuição dos jogos dos encarnados, em casa. Questionado sobre se a venda do nome do estádio será o próximo grande negócio do Benfica, o presidente do clube disse que as novidades não deverão ficar só por aí. "O país é pequeno para a marca Benfica", foram as palavras do presidente do Benfica.

  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.