sicnot

Perfil

Desporto

Rossi retira recurso no TAS contra sanção da federação de motociclismo

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) informou hoje que o piloto italiano Valentino Rossi, vice-campeão mundial de MotoGP, retirou o recurso contra a penalização que lhe foi imposta pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM).

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Heino Kalis / Reuters

O TAS já tinha rejeitado o pedido de Rossi de suspender a sanção imposta pela FIM, que o obrigou a arrancar do fim da grelha de partida para o Grande Prémio da Comunidade Valenciana, 18ª e última corrida do Campeonato do Mundo de motociclismo de velocidade.

A FIM considerou que Rossi provocou deliberadamente a queda de Marc Márquez na penúltima prova, realizada na Malásia, numa altura em que luta com o pelo terceiro lugar, punindo o piloto italiano com três pontos de penalização na licença desportiva.

Rossi, que já tinha um ponto de penalização, por condução irresponsável no Grande Prémio de São Marino, viu aumentar o número de pontos de penalização na sequência do incidente com Márquez e foi punido com a saída do último lugar na prova seguinte.

O italiano partiu para a última prova com sete pontos de vantagem sobre espanhol Jorge Lorenzo, mas não conseguiu conquistar o oitavo título na categoria rainha (500cc e MotoGP), ao terminar no quarto lugar a corrida de Valência, vencida pelo colega de equipa na Yamaha, que se sagrou campeão mundial.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.