sicnot

Perfil

Desporto

Fábregas assume responsabilidade dos jogadores na crise do Chelsea

O médio do Chelsea Cesc Fábregas reconheceu hoje a responsabilidade da equipa no atual momento de crise na Liga inglesa de futebol e 'desculpou' o treinador português José Mourinho.

Efrem Lukatsky

"Todos temos de assumir a responsabilidade. Se alguém é um grande jogador e recebe como um grande jogador, tem de jogar e comportar-se como tal", disse o internacional espanhol à Sky Sports.

No entanto, Fábregas recusou responder às declarações do seu treinador, que, depois da derrota com o Leicester na segunda-feira, confessou sentir-se "traído" pelos seus jogadores.

"Não estou a dizer que não possa acontecer uma má temporada e ter maus jogos. Todos temos grandes jogadores, uns melhores, outros piores, mas a atitude tem de ser perfeita. Temos de dar o máximo nos nossos encontros e estar sempre na parte de cima da tabela. De qualquer maneira, o comportamento tem de ser melhor do que estamos a ver neste momento em todos os jogadores do Chelsea", assumiu o espanhol.

Com a derrota frente ao primeiro classificado da 'Premier League', os 'blues', campeões em título, estão a um ponto da linha de água, depois de terem perdido nove dos 16 jogos disputados.

"Fomos nós que nos colocámos nesta posição e agora temos de demonstrar que podemos começar a ganhar para sair dela", concluiu, assumindo que a revalidação do título já não é possível.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.