sicnot

Perfil

Desporto

Jonah Lomu morreu praticamente falido

A antiga estrela do râguebi mundial Jonah Lomu, que morreu em novembro, aos 40 anos, devido a problemas renais, estava praticamente na falência quando faleceu, revelou hoje um responsável do Sindicato dos Jogadores de Râguebi da Nova Zelândia.

© Bobby Yip / Reuters

Lomu morreu a 18 de novembro, 13 anos depois de ter abandonado a competição em consequência de um grave problema renal, que o obrigou a submeter-se a um transplante, em 2004.

O diretor executivo do Sindicato dos Jogadores de Râguebi da Nova Zelândia, Rob Nichol, confirmou que Lomu estava quase arruinado quando um grupo de empresários e amigos criaram um fundo para apoiar os seus filhos, Dhyreille e Brayley, de 6 e 5 anos, respetivamente.

"Faltam ainda algumas auditorias, mas não há grandes montantes que possam ser canalizados à família", reconheceu Nichol aos microfones da rádio NewstalkZB.

Nichol considerou que Lomu foi "vítima da sua própria generosidade, à custa da sua própria família", para além de suportar os "elevados custos dos seus tratamentos médicos e diálises".

"Era um tipo muito orgulhoso e não queria ser um fardo para ninguém, nem pedir ajuda. Se quisessem ajudar, rejeitava. Preferia ajudar do que ser ajudado. Todos pensam que ganhou muito dinheiro, mas a sua doença, e os tratamentos que implicava, forçaram-no a passar por grandes dificuldades", lamentou Rob Nichol.

No dia da sua morte, a diretora da UNICEF na Nova Zelândia, Vivien Maidaborn, lembrou Jonah Lomu como "modelo de desportista e de pai", destacando o "apoio que sempre deu ao trabalho da UNICEF".

Lomu, somou 63 internacionalizações pelos 'All Blacks', entre 1994 e 2002, e revolucionou o râguebi, graças a uma forma de jogar baseada na sua velocidade e envergadura, contribuindo para a promoção da modalidade em todo o mundo, num período que coincidiu com a profissionalização da modalidade.

Lusa

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC