sicnot

Perfil

Desporto

União da Madeira passará a utilizar Estádio da Ribeira Brava em jogos noturnos

O União da Madeira, equipa da I Liga portuguesa de futebol, anunciou esta quinta-feira que passará a utilizar o estádio do Centro Desportivo da Madeira, na Ribeira Brava, de forma permanente.

Lusa

Segundo o comunicado emitido pelo clube madeirense, o "estádio do Centro Desportivo da Madeira, na Ribeira Brava, está a partir de hoje apto à transmissão televisiva em jogos noturnos, após o reforço da iluminação artificial, um investimento da ordem dos 100 mil euros, totalmente custeados pelo clube".

Recorde-se que quando na condição de visitado e tendo o jogo transmissão televisiva, em período noturno, o União da Madeira utilizava o Estádio da Madeira, pertença do Nacional, por o estádio do Centro Desportivo da Madeira, na Ribeira Brava, não reunir condições para efeito, nomeadamente por deficiente iluminação.

Neste caso, atuaram no Estádio da Madeira, Vitória de Guimarães, Braga, FC Porto e Benfica. Assim, tudo indica que o jogo com o Sporting, relativo à 14.ª jornada, a disputar no próximo domingo, às 18:15, será o último em que o União da Madeira jogará no Estádio da Madeira.

O União da Madeira atuou na Ribeira Brava apenas em três ocasiões esta temporada, para o campeonato, saldando-se por duas vitórias, com Marítimo (2-1) e Tondela (2-0) e um empate, com o Arouca (0-0).

  • Eis os novos heróis de Vila de Aves
    3:03
  • Desportivo das Aves fora da Liga Europa

    Desporto

    O Desportivo das Aves não vai à Liga Europa e o Sporting terá entrada direta na fase de grupos. Apesar da conquista da Taça de Portugal, a equipa avense não se licenciou em tempo útil para poder participar na prova da UEFA, apurou a SIC.

  • E agora, Sporting? Semana de decisões e incertezas
    2:53
  • "Para primeiro dia de pesca da sardinha, não foi mau"
    2:19
  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29

    País

    José Sócrates garantiu este domingo que não atacará o PS e que continua a ser socialista. O antigo primeiro-ministro participou num almoço de apoio, em Lisboa, com cerca de 100 pessoas, a maioria anónimos.