sicnot

Perfil

Desporto

Críticas de Paco Jémez a Cristiano Ronaldo eram falsas

O treinador do Rayo Vallecano, Paco Jémez, não criticou o futebolista português Cristiano Ronaldo, após o desaire por 10-2 com o Real Madrid, já que a notícia veiculada pela imprensa espanhola teve origem num 'tweet' falso.

© Andrea Comas / Reuters

De acordo com o jornal catalão Sport, foram "inventadas falsas declarações de Paco Jémez" e as mesmas foram "difundidas por diferentes meios de comunicação", entre eles o próprio diário desportivo, que pede "desculpas ao técnico".

Nesse 'tweet' inventado, e espalhado pelas redes sociais, o técnico do Rayo Vallecano afirmou que lhe meteu "nojo" ver Cristiano Ronaldo "ir a correr buscar a bola depois de cada golo" dos 'merengues'.

Na realidade, Paco Jémez só teve críticas para o árbitro do encontro e não para nem jogador 'merengue'.

O clube de Vallecas teve dois jogadores expulsos no Santiago Bernabéu, numa goleada histórica, a maior do Real Madrid desde 1960, quando deu 11-2 ao Elche.

"Sentimo-nos humilhados e pisados. Há muito tempo que não via algo tão vergonhoso como o que aconteceu aqui. O futebol perdeu. A Liga está adulterada. O que aconteceu não é aceitável. Custa-me entrar no balneário e ver jogadores a chorar sem parar depois do seu esforço", lamentou.

Jémez queixa-se de uma alegada grande penalidade cometida por Sérgio Ramos, de uma assinalada contra a sua equipa e de duas expulsões de futebolistas seus.

"Perdemos com o nosso futebol, mas sentimo-nos pisados e humilhados. Estou orgulhoso da minha equipa, jogo muito bem. Espero que isto não se repita, pois faz mal a todos. Apoio os meus jogadores, que fizeram um grande esforço. Agora, é difícil consolá-los, pois sentem-se pisados", reforçou.

O Rayo Vallecano esteve a vencer por 2-1, mas, aos 14 minutos, Tito viu o vermelho direto, depois de uma falta muito dura sobre Toni Kroos, e, aos 28, já com 2-2, o árbitro Ignacio Iglesias também deu uma 'ajuda', ao descobrir Raúl Baena no 'meio' de vários puxões, mostrando-lhe o segundo amarelo.

Com este resultado, para o qual o internacional português Cristiano Ronaldo contribuiu com dois golos, 'contra' três do francês Karim Benzema e quatro do galês Gareth Bale, o Real Madrid passou a contar 33 pontos, colocando-se, à condição, a dois dos líderes FC Barcelona e Atlético de Madrid.

"Imagino que os adeptos do Real Madrid estejam contentes, mas isto não deveria acontecer no melhor campeonato no Mundo: Nem aqui, nem em lugar algum", finalizou.

Lusa

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC

  • Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

    Mundo

    O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

    SIC