sicnot

Perfil

Desporto

Del Bosque coloca o seu futuro nas mãos da federação espanhola de futebol

O selecionador espanhol, Vicente Del Bosque, afirmou hoje que o seu futuro "está nas mãos" da federação espanhola de futebol e que será com o organismo para que trabalha que tomará uma "decisão final" sobre a sua carreira.

© Juan Medina / Reuters

"Quando falar com o presidente resolveremos tudo. As coisas não devem ser feitas por se ganhar ou perder. Faltam seis meses para o Europeu [de futebol em França], sou um homem da federação e, antes de mais nada, tenho de pôr-me nas mãos deles para tomar a decisão final", afirmou o selecionar espanhol.

Vicente Del Bosque, que vai liderar a seleção de Espanha no Europeu do próximo ano, falava hoje em Madrid na apresentação pública do seu livro "Ganar y Perder. La fortaleza emocional", escrito pelo jornalista Vicente García, e cuja divulgação de alguns excertos na semana passada levaram à especulação sobre a sua saída da seleção depois dos 65 anos, precisamente a idade que terá quando se realizar o torneio.

Este livro "não é uma despedida, ainda que no final se fale da reforma", esclareceu Del Bosque.

"No último capítulo creio que falo da reforma e creio que a coloco no condicional. Dizemos alguma coisa do género, 'se tudo correr na normalidade, vai ser assim'. Não tenho medo, a não ser dos assuntos de família, agora, se tenho uma grande responsabilidade nos seis meses que tenho pela frente que essa responsabilidade vá de mãos dadas com o cargo", acrescentou.

O extrato relevante divulgado na semana passada é um pouco mais assertivo do que o selecionador espanhol hoje escolheu passar sobre o seu futuro. "Se tudo correr como esperado, depois do Euro2016, deixarei a seleção nacional e a federação espanhola de futebol. Também é uma questão de saúde", pode ler-se no livro.

Em outro dos excertos, Del Bosque recorda que está à frente da seleção espanhola há oito anos e sublinha que não tenciona ficar agarrado ao cargo.

Em reação à divulgação destes excertos, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) fez saber, logo na semana passada, que pretende manter Vicente Del Bosque na sua estrutura, mesmo depois de o técnico abandonar a seleção, após o Euro2016.

"Del Bosque é património do futebol nacional [espanhol], pelo que a sua colaboração de uma ou de outra forma é sempre bem-vinda", sublinhou à EFE uma fonte da RFEP.

Del Bosque, que substituiu Luis Aragonés depois do triunfo espanhol no Euro2008, é uma figura muito popular em Espanha, sobretudo devido às suas campanhas vitoriosas no Mundial de 2010 e à revalidação do título europeu em 2012.

Lusa

  • Costa preparado para falar da renegociação da dívida no plano europeu
    2:24

    Economia

    O primeiro-ministro não quer quebrar com as regras impostas pela UE e não vai dar o primeiro passo na renegociação da dívida, mas estará na linha da frente quando Bruxelas ceder. Em entrevista à RTP, António Costa garante que o Governo cumpriu tudo aquilo que acordou com o presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues.

  • Benfica persegue oitavos da Liga dos Campeões

    Desporto

    O Benfica tenta hoje a qualificar-se para os oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, procurando uma vitória na receção ao Nápoles que lhe permita vencer o Grupo H e manter-se a salvo do perseguidor Besiktas.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.

  • Nova Deli é "altamente tóxica" para os cidadãos

    Mundo

    Nova Deli foi considerada altamente tóxica para os cidadãos. A capital da Índia é considerada há mais de três anos a cidade mais poluída do mundo, mas só este ano se concluiu que é tão tóxica que é capaz de provocar doenças crónicas a quem lá vive.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.