sicnot

Perfil

Desporto

Tribunal do Desporto dá razão à Doyen no conflito com o Sporting

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) deu razão à Doyen Sports no conflito que tem com o Sporting, devido à transferência do futebolista Marcos Rojo para o Manchester United, em 2014, revelou hoje fonte ligada ao processo.

Marcos Rojo, defesa esquerdo argentino de 24 anos, poderá jogar a sua terceira época de leão ao peito. Atualmente, enfrenta um processo disciplinar e tem futuro incerto em Alvalade.

Marcos Rojo, defesa esquerdo argentino de 24 anos, poderá jogar a sua terceira época de leão ao peito. Atualmente, enfrenta um processo disciplinar e tem futuro incerto em Alvalade.

© Rafael Marchante / Reuters

O clube lisboeta e a Doyen, que investiu três milhões e era detentora de 75% dos direitos económicos do defesa internacional argentino, entraram conflito no ano passado, a propósito da proposta do Manchester United para a transferência do Rojo, que acabou por acontecer por 20 milhões de euros.

Dias antes da mudança do defesa para Old Trafford, o Sporting rescindiu unilateralmente os contratos que tinha com o fundo de investimento, relativos aos jogadores Rojo e também ao marroquino Labyad, alegando justa causa.

Com esta decisão, o clube de Alvalade restituiu à Doyen os três milhões de euros que o fundo tinha investido no jogador e pagou quatro milhões ao Spartak Moscovo, clube em que Rojo tinha atuado antes de ingressar em Alvalade e que tinha direito a uma percentagem numa futura transferência.

Na altura, em agosto de 2014, o Sporting anunciou que, da restante verba que recebeu do Manchester United, iria investir nove milhões de euros na construção de um novo pavilhão para o clube.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.