sicnot

Perfil

Desporto

Van Gaal abandona conferência de imprensa incomodado com perguntas sobre o futuro

O treinador do Manchester United, o holandês Louis van Gaal, respondeu hoje a três perguntas e abandonou a conferência de imprensa de antevisão à visita ao Stoke City, da 18.ª jornada da Liga inglesa de futebol.

© Reuters Staff / Reuters

O técnico, de 64 anos, mostrou-se incomodado ao ser confrontado com a especulação sobre a sua saída e eventual substituição por José Mourinho, permanecendo apenas cinco minutos em frente aos jornalistas, aos quais assegurou que só ali estava devido às regras da 'Premier League'.

"Eu desejo-vos um Feliz Natal e talvez também um feliz ano novo, quando vos vir", referiu Van Gaal, despedindo-se: "Desfrutem do vinho e da 'mince pie' [tarte típica britânica de Natal]. Adeus".

Antes, o holandês aceitou responder a três perguntas de jornalistas televisivos, recusando todas da imprensa.

"Alguém nesta sala sente a necessidade de me pedir desculpa? Era o que eu queria saber", disparou Van Gaal, quando confrontado sobre a afirmação do treinador do Arsenal, o francês Arsene Wenger, que considerou que o holandês tinha sido "desrespeitado".

Van Gaal está a meio do seu contrato de três temporadas com o Manchester United, que após 17 jornadas ocupa o quinto lugar da Liga inglesa, a nove pontos do líder, o Leicester, e já foi relegado da Liga dos Campeões para a Liga Europa.

O futuro de Van Gaal no Manchester United tem sido posto em causa desde a eliminação na 'Champions' e a especulação ganhou uma maior dimensão desde a passada quinta-feira, quando o português José Mourinho deixou o comando técnico do Chelsea.

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".