sicnot

Perfil

Desporto

Louis van Gaal desconhece se mantém apoio da direção do Manchester United

O treinador do Manchester United, o holandês Louis van Gaal, disse hoje desconhecer se mantém o apoio da direção do clube, que somou o terceiro desaire consecutivo na Liga inglesa de futebol, no terreno do Stoke City, por 2-0.

© Reuters Staff / Reuters

Depois de ter abandonado a conferência de imprensa de antevisão do encontro, manifestando-se incomodado pela especulação sobre a sua saída e eventual substituição por José Mourinho, Van Gaal ficou numa posição de maior fragilidade ao perder na 18.ª jornada do campeonato, graças aos golos de Bojan Krkic e Marko Arnautovic.

Os 'red devils', que não venceram os últimos cinco jogos para a Liga inglesa, somam quatro derrotas consecutivas em todas as competições, algo que não ocorria desde 1996, e seguem numa série de sete jogos sem vencer, pela primeira vez desde 1989/90.

Questionado sobre se sentia apoio da direção do clube e dos proprietários, a família Glazer, Van Gaal, em declarações à Sky Sports, após a quarta derrota, que "há que esperar para ver", sem se indicar como o treinador certo para dar a volta à situação.

"É mais difícil, porque eu também sou responsável pelos quatro jogos que perdemos. Por isso, as pessoas olham para mim, tenho de lidar com isso, mas o mais importante é que os jogadores têm de lidar com isso, porque são eles que têm de jogar", rematou o técnico, de 64 anos.

Van Gaal admitiu a necessidade de vencer no terreno do Stoke City, justificando a derrota com "a pressão" exercida sobre a sua equipa e com o vento sentido no recinto, que inibiu os jogadores dos 'red devils'.

"O clube não tem de me despedir, por vezes faço-o por mim", frisou o treinador holandês, explicando que, na terça-feira, deixou a conferência de imprensa porque a comunicação social escreveu algo que não se passava no clube: "Não perceberam a minha mensagem, que era de que os 'media' estavam a escrever algo que não estava em conformidade com o que ocorria no Manchester United. Essa era a minha mensagem, não porque estivesse magoado, porque estou habituado a isso".

Os 'red devils' não vencem desde 21 de novembro, quando visitaram o Watford (2-1), e permanecem no quinto lugar, com os mesmos 29 pontos de Tottenham, Crystal Palace e mais um do que a formação comandada pelo espanhol Quique Flores, todos com menos um jogo.

Nos últimos dias, a comunicação social britânica tem dado conta de que está iminente o despedimento do treinador do Manchester United, o holandês Louis van Gaal, que está a meio do seu contrato de três épocas.

Na segunda-feira, os 'red devils' recebem o campeão Chelsea, em Old Trafford, a 28 de dezembro.

O futuro de Van Gaal no Manchester United tem sido posto em causa desde a eliminação na 'Champions' e a especulação ganhou uma maior dimensão desde 17 de dezembro último, quando Mourinho deixou o comando técnico do Chelsea.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.