sicnot

Perfil

Desporto

Presidente da FPF quer o futebol solidário com os cidadãos

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, considerou hoje que a modalidade "deverá sempre ser o terreno da solidariedade, do respeito, da inclusão, da ética, da responsabilidade social ou da alegria".

Na sua mensagem de Ano Novo, publicada na página oficial da FPF na internet, o dirigente revela ter esperança de que o próximo ano seja "ano seja igualmente próspero, repleto de alegrias, jogadas mágicas e grandes golos".

Para Fernando Gomes, "2015 foi um ano de desafio, mudança e sucesso para o futebol português".

A ideia de solidariedade unida ao futebol transparece em todo o discurso de Fernando Gomes, que realça ainda "a obrigação -- de jogadores, treinadores, clubes ou dirigentes -- de servir de exemplo aos jovens ou de amparo aos mais velhos".

"Temos a obrigação de não transigir nos valores em troca de vitórias ou de nos esquecermos do respeito ao próximo (...) e temos a obrigação, através dos nossos atos e não apenas pelas palavras, de contribuir para uma sociedade mais pacífica, próspera, feliz e otimista", conclui.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras