sicnot

Perfil

Desporto

Lito Vidigal defende uso de tecnologia na arbitragem

O treinador do Arouca, Lito Vidigal, defendeu esta segunda-feira a implementação de novas tecnologias na arbitragem, depois da polémica na partida com o Nacional (2-2), da 15ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

"Temos tido jogos com casos difíceis de analisar e temos sido um pouco prejudicados, mas não me parece que há intenção dos árbitros. Não há necessidade dos árbitros terem uma pressão tão grande para avaliar esses lances. Está na altura de incluir tecnologia na arbitragem", defendeu o treinador do Arouca. (Arquivo)

"Temos tido jogos com casos difíceis de analisar e temos sido um pouco prejudicados, mas não me parece que há intenção dos árbitros. Não há necessidade dos árbitros terem uma pressão tão grande para avaliar esses lances. Está na altura de incluir tecnologia na arbitragem", defendeu o treinador do Arouca. (Arquivo)

Rebecca Blackwell / AP

No sábado, o Nacional fez o golo do empate nos instantes finais, num lance em que a equipa técnica e jogadores do Arouca defendem que a bola não passou a linha de golo.

"Temos tido jogos com casos difíceis de analisar e temos sido um pouco prejudicados, mas não me parece que há intenção dos árbitros. Não há necessidade dos árbitros terem uma pressão tão grande para avaliar esses lances. Está na altura de incluir tecnologia na arbitragem", defendeu o treinador do Arouca.

Lito Vidigal deu como exemplo os elementos da sua própria equipa técnica que, estando no banco de suplentes, se apoiam nas novas tecnologias e "numa fração de segundos" percebem se o árbitro tomou ou não uma decisão errada.

"Se é isenção que estamos à procura, é por aí que temos de caminhar. E não estou a olhar só para as equipas, olho para os árbitros que saem prejudicados pelas decisões erradas que tomam", afirmou.

O Arouca, oitavo classificado com 20 pontos, recebe na quarta-feira o Estoril-Praia, 11.º classificado com 17 pontos, e o treinador reafirma que "o primeiro pensamento do Arouca é vencer", face a um adversário "difícil e com qualidade".

Ainda sem contar com Mateus nem Wagner, dois reforços do 'mercado de inverno', por falta dos certificados internacionais, Lito Vidigal não conta ainda com Zequinha, expulso na Madeira, já depois do final do jogo.

"Não sei o que se passou. Ele diz que não fez nada e eu fico limitado nas opções", lamentou.

O Arouca-Estoril tem início marcado para as 16:00 de quarta-feira, no Estádio Municipal de Arouca, com arbitragem do portuense Artur Soares Dias.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.