sicnot

Perfil

Desporto

Uruguai e Argentina querem organizar Mundial de 2030

Uruguai e Argentina vão apresentar uma candidatura conjunta à organização do Campeonato do Mundo de 2030 de futebol, para marcar os 100 anos do primeiro Mundial, que decorreu em solo uruguaio, anunciaram hoje os presidentes dos dois países.

© Ricardo Moraes / Reuters

"Decidimos que não há melhor oportunidade para nos comprometermos a organizar esta competição do que em 2030, quando se assinala uma data tão importante como 100 anos desde o primeiro Campeonato do Mundo. A sede desse Mundial tem que ser aqui", afirmou o presidente argentino, Maurício Macri, numa declaração realizada em Colonia, no sul do Uruguai.

Com o presidente do Uruguai, Tabaré Vasquez, ao seu lado, Macri assumiu que ainda "faltam muitos anos" para esse Campeonato do Mundo e explicou que a decisão foi tomada agora para "que tudo seja perfeito e corra pelo melhor".

"No passado, na nossa história, por termos que improvisar e por não estarmos preparados para certas situações, passámos por alguns problemas. Queremos preparar tudo da melhor forma e quanto mais cedo começarmos, melhor", referiu o antigo líder Boca Juniors, entre 1996 e 2008.

O Uruguai organizou, em 1930, o primeiro Campeonato do Mundo da história, numa competição em participaram apenas 13 equipas e que terminou com a vitória da seleção 'celeste', que bateu na final a Argentina, por 4-2.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.