sicnot

Perfil

Desporto

Rali de Portugal de 2016 com mais três especiais e mais quilómetros

A edição de 2016 do Rali de Portugal vai ter mais quilómetros e mais três especiais, duas das quais no centro da cidade do Porto, anunciou hoje o Automóvel Club de Portugal (ACP), em comunicado.

JOSE COELHO / Lusa

A entidade organizadora da etapa portuguesa do Mundial de ralis, que se vai disputar de 19 a 22 de maio, anunciou hoje o percurso, após um encontro com representantes dos 14 municípios envolvidos, mantendo a Exponor, em Matosinhos, como centro de operações e terá 368 quilómetros, depois de em 2015 a prova ter tido pouco mais de 350.

Em relação à edição de 2015, a primeira após o regresso ao norte do país, a grande novidade é a realização de duas especiais na zona da Avenida dos Aliados, no centro do Porto, no final da tarde de sexta-feira, além de uma segunda passagem por Vieira do Minho no domingo.

Aludindo ao sucesso de 2015, o ACP decidiu "manter inalterado para a edição de 2016 o essencial da estrutura da prova", que voltará a ter a partida simbólica de Guimarães, na quinta-feira, 19 de maio, dia em que se disputa a única superespecial do rali, na pista de ralicrosse de Lousada.

Na sexta-feira, os carros visitam o Alto Minho, com duas passagens pelos troços cronometrados de Ponte de Lima, Caminha e Viana do Castelo, antes do 'Porto Street Stage', duas classificativas espetáculo de 1.850 metros.

A zona do Marão recebe o rali no sábado, com duas passagens pelos troços de Baião, Marão e Amarante (Fridão) -- o maior da prova, com 37,67 km.

No domingo, dia de encerramento da edição 2016, terá duas passagens por Vieira do Minho e outras duas por Fafe, a segunda das quais será uma 'power stage'.

Os vencedores serão consagrados em frente à praia, em Matosinhos.

Lusa

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.