sicnot

Perfil

Desporto

Paulo Gonçalves continua no Dakar

O português Paulo Gonçalves, que seguia na segunda posição, vai manter-se no rali todo-o-terreno Dakar 2016. A sua mota sofreu uma avaria, mas entretanto a direção de prova neutralizou a nona etapa a partir do segundo posto de controlo, por motivos de segurança.

© Marcos Brindicci / Reuters

"Últimas notícias: a etapa de hoje foi parada no CP2 [posto de controlo 2]. Paulo Gonçalves está oficialmente na corrida. Ele chegou ao CP2 com o companheiro Paolo Ceci e vai reparar hoje a sua mota no bivouac de Fiambala de forma a começar amanhã [quarta-feira]", escreveu a HRC Honda no sua página oficial no Twitter.

Antes de a etapa ser neutralizada, o diretor da equipa Honda, Martino Bianchi, tinha anunciado a desistência do português, revelando que "um arbusto entrou no radiador da sua mota e partiu-o".

Paulo Gonçalves, que era quarto à passagem do CP1, ainda não surge nas classificações da etapa e deverá ser penalizado pela troca de motor.

No acompanhamento ao vivo da página oficial do rali, a organização deu conta de que o piloto natural de Esposende estava parado no segundo posto de controlo da nona etapa, devido a problemas no radiador.

Como se trata de uma tirada maratona, dividida em duas etapas, qualquer reparação nas motos terá de ser feita sem auxílio externo.

O campeão do mundo de 2013 esteve quatro dias na liderança na classificação de motas, numa edição em que protagonizou um momento de 'fair-play' ao permanecer no sábado durante cerca de 10 minutos junto ao austríaco Matthias Walkner (KTM), que tinha sofrido uma queda e partido uma perna.

Na segunda-feira, Paulo Gonçalves sofreu uma queda aparatosa e, no final da oitava etapa, perdeu a liderança para o australiano Toby Price (KTM), ficando no segundo posto, a 2.05 minutos.

Price foi o primeiro a passar pelo CP2, pelo que foi declarado vencedor da nona etapa, consolidando a liderança, ao bater o argentino Kevin Benavides (Honda) por 7.10 minutos e o eslovaco Stefan Sivtko (KTM) por 10.33.

O melhor português foi Hélder Rodrigues (Yamaha), na nona posição, a 16 minutos, com Mário Patrão (KTM) a ser 16.º, a 30.22, e Pedro Bianchi Prata 35.º, a 54.47.

Com Lusa

  • Paulo Gonçalves em risco de abandonar Dakar devido a avaria

    Desporto

    O português Paulo Gonçalves poderá ter que abandonar o rali Dakar 2016, devido a uma avaria na sua mota, na nona etapa. O diretor da equipa Honda, Martino Bianchi, chegou a anunciar o abandono como certo, mas entretanto já acrescentou que o motard ainda tem hipóteses. Paulo Gonçalves seguia na segunda posição.

  • Governo prepara pacote de medidas para matas ardidas

    País

    O Governo vai preparar um pacote de medidas para as matas nacionais afetadas pelos incêndios, que passa pela elaboração de um relatório de ocorrências, por um programa de intervenção e pela aplicação da receita da madeira nessas matas.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • Acabou o estado de graça

    Opinião

    Sá Carneiro dizia que qualquer Governo tem direito a um estado de graça de 100 dias. E que, depois disso, já não tem margem para deitar culpas ao Governo anterior. O discurso de Marcelo, no terreno, junto das vítimas, e não na torre de marfim de Belém, marca o tal "novo ciclo" que o Presidente há muito tinha anunciado, com data marcada: depois das autárquicas.

    Pedro Cruz

  • "O primeiro-ministro falhou em toda a linha"
    4:36

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares não acredita que a ministra da Administração Interna se despediu: "ela foi demitida pela Presidente ontem à noite publicamente". No Jornal da Noite, esta quarta-feira, o comentador da SIC declarou que o primeiro-ministro "falhou em toda a linha" e questionou se António Costa tinha a "coragem política de fazer o que é preciso". Sobre os incêndios, Miguel Sousa Tavares disse ainda que o maior problema não era haver reacendimentos, mas sim "não serem logo apagados e propagarem-se".

    Miguel Sousa Tavares

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • "O povo exige um novo ciclo"
    1:10

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande exige que o primeiro-ministro faça um pedido de desculpas público às famílias das vítimas dos incêndios. A Presidente da Associação pede ainda a demissão do comando da Autoridade Nacional de Proteção Civil. Após a reunião desta quarta-feira com António Costa, Nádia Piazza anunciou que o Governo assume as mortes de junho passado e chegou a acordo com os familiares das vítimas.

  • Uso de véu que tape o rosto proibido em serviços públicos no Quebec, Canadá
    1:04
  • 60 milhões de crianças com menos de 5 anos vão morrer entre 2017 e 2030

    Mundo

    Cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo, e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida, segundo um relatório divulgado na quarta-feira pela Unicef. Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.