sicnot

Perfil

Desporto

Rui Barros quer FC Porto na máxima concentração para o jogo da Taça com o Boavista

O treinador interino do FC Porto, Rui Barros, exigiu hoje "máxima concentração" para o jogo com o Boavista, da Taça de Portugal de futebol, que assinala o regresso ao Bessa após a goleada (5-0) para a I Liga.

Os 'dragões' treinam novamente pelas 10:30 de sábado, no Olival, numa sessão para decorrer à 'porta fechada' e finda a qual, pelas 13:00, Julen Lopetegui fará a antevisão do jogo com os setubalenses.

Os 'dragões' treinam novamente pelas 10:30 de sábado, no Olival, numa sessão para decorrer à 'porta fechada' e finda a qual, pelas 13:00, Julen Lopetegui fará a antevisão do jogo com os setubalenses.

© Baz Ratner / Reuters

Em declarações ao Porto Canal, Rui Barros que os 'dragões' vão estar "precavidos" para um Boavista 'ferido' no orgulho, numa partida, dos quartos de final, a eliminar e numa competição "muito importante" para o FC Porto.

"O resultado de 5-0 para o campeonato já passou. Agora é uma outra competição. É um jogo da Taça, a eliminar, em que eles, se calhar, também vão estar mais fortes, mas nós vamos ter mais concentração ainda", referiu Rui Barros.

Ainda de acordo com o treinador, que substituiu interinamente o espanhol Julen Lopetegui, o 5-0 de domingo, para a 17.ª jornada da I Liga, é um resultado que acontece, mas o FC Porto tem que estar preparado para um jogo que vai ser mais difícil.

"Este jogo tem de ser ganho por uma das equipas e eles vão arriscar mais, ser mais agressivos e estar mais atentos. Vamos precavidos para isso, no sentido em que queremos fazer um bom jogo para passar esta eliminatória", advertiu.

Rui Barros reafirmou o desejo de querer ver o FC Porto na final da Taça de Portugal, mas defendeu que, para conseguir isso, os jogadores têm que estar concentrados ao máximo para o jogo de quarta-feira.

O treinador não tem dúvidas de que o Boavista é um adversário complicado, ainda por cima a jogar no seu estádio e numa partida a eliminar.

"É uma equipa com alguma agressividade, com jogadores que têm o seu valor, que joga no contra-ataque, com bolas longas, tem jogadores altos e são perigosos nas segundas bolas", considerou.

O treinador interino dos portistas recordou ainda que o Boavista tem a sua história na Taça de Portugal e, neste jogo, que é logo a seguir ao da Liga, vai querer demonstrar outra atitude e outro valor.

"Vai ser um dérbi muito interessante. No FC Porto queremos sempre ganhar. Esta é uma competição muito importante para nós e isto é um passo importante. As meias-finais são disputadas a dois jogos, o que pode facilitar a nossa tarefa", finalizou.

FC Porto e Boavista FC defrontam-se pelas 20:30 horas de quarta-feira, no Estádio do Bessa, três dias após a goleada para a I Liga, em jogo referente aos quartos de final da Taça de Portugal, em jogo arbitrado por Nuno Ortega, da Associação de Futebol do Algarve.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59