sicnot

Perfil

Desporto

Justiça espanhola ouve Neymar como arguido de crimes de corrupção e fraude

A justiça espanhola convocou o futebolista internacional brasileiro Neymar para prestar declarações na qualidade de arguido, no processo que o opõe ao fundo de investimento DIS, que detinha parte dos direitos federativos do avançado do Barcelona.

(AP/Arquivo)

(AP/Arquivo)

Shizuo Kambayashi / AP

O juiz da Audiência Nacional titular do processo aceitou o pedido do Ministério Público para ouvir Neymar na qualidade de arguido dos crimes de corrupção e fraude, convocando o jogador a comparecer a 2 de fevereiro perante o tribunal, que tem sede em Madrid.

Além de Neymar, o juiz José de la Mata citou mais nove pessoas, entre as quais o pai e a mãe do futebolista brasileiro, o atual presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e o seu antecessor, Sandro Rosell.

A justiça espanhola aceitou investigar a queixa apresentada pelo fundo de investimento, que detinha parte dos direitos federativos de Neymar e que se considera lesado no processo de transferência de Neymar do Santos para o Barcelona.

O DIS acusa os intervenientes no processo de fraude e corrupção, sustentando que lhe corresponde o equivalente a 40% dos 17,1 milhões de euros (M€) que o clube catalão pagou pelos direitos federativos de Neymar, valor que considera estar abaixo do custo real da transação.

O Barcelona anunciou que a transferência do avançado brasileiro, realizada em maio de 2013, custou 57,1 M€ ao campeão espanhol e europeu, mas depois de uma investigação da justiça espanhola admitiu que a operação ascendeu, pelo menos, a 83,3 M€.

O fundo de investimento brasileiro, que recebeu 6,8 M€ correspondentes aos 40% que detinha dos direitos federativos de Neymar, argumenta que tem direito a uma parte da diferença entre o valor inicialmente declarado e o valor real que o Barcelona assumiu posteriormente.

Lusa

  • Senegal surpreende e vence a Polónia por 2-1

    Mundial 2018 / Polónia

    O Senegal venceu hoje a Polónia por 2-1 num jogo a contar para o grupo H do Mundial da Rússia. Na primeira parte, os "leões de Teranga" beneficiaram de um golo na própria baliza marcado por Thiago Cionek aos 37 minutos. A vantagem no marcador veio trazer estabilidade ao Senegal que conseguiu firmar a superioridade com um golo de M´Baye Niang aos 60 minutos. Perto do final do jogo, o polaco Grzeg Krychowiak marcou na baliza de Khadim N'Diaye, mas foi insuficiente para derrotar o Senegal.

  • Japão ganha nova esperança ao derrotar a Colômbia (2-1)

    Mundial 2018 / Colômbia

    No primeiro jogo do grupo H, a Colômbia foi derrotada pelo Japão. Um dos momentos altos do jogo aconteceu logo ao minuto 4 quando, na sequência de uma falta de Carlos Sanchez, o árbitro assinalou um penálti a favor da equipa japonesa. O colombiano levou um cartão vermelho, depois de ter intercetado um remate do Japão com a mão. Apesar da desvantagem numérica, a Colômbia iguala o marcador aos 39 minutos com um livre de Quintero. Contudo, Yuya Osako colocou o Japão novamente em vantagem aos 73 min.

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

    SIC

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • Morreu o orangotango mais velho do mundo

    Mundo

    O orangotango mais velho do mundo morreu aos 62 anos no jardim zoológico de Perth, no norte da Austrália, deixando 54 descendentes, anunciou esta terça-feira a instituição.

  • Milionários aumentam... e as suas fortunas também

    Mundo

    O número de milionários mundiais cresceu em 2017 e o seu nível de riqueza aumentou pelo sexto ano consecutivo, ultrapassando pela primeira vez os 70 biliões de dólares (60,5 biliões de euros), segundo um estudo divulgado esta terça-feira.