sicnot

Perfil

Desporto

Interpol emite mandado de captura para filho do ex-presidente da IAAF

A Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) emitiu hoje um mandado de captura para Papa Massata Diack, filho de Lamine Diack, ex-presidente da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

Reuters

Reuters

© Thomas White / Reuters

No seu alerta, feito na rede social Twitter, a Interpol diz que Papa Massata Diack é procurado em França "por suborno, lavagem de dinheiro e acusações de corrupção".

A fotografia de Papa Diack surge numa lista de 332 pessoas procuradas pela organização.

Em agosto, Lamine Diack saiu da presidência da IAAF, antes de ser acusado de corrupção pela justiça francesa. O ex-dirigente e o seu filho, antigo consultor de marketing no organismo, são acusados de corrupção e suborno na ordem dos milhões de euros.

Na última semana, Papa Diack foi irradiado, juntamente com mais duas pessoas, pela comissão de ética da IAAF , por implicação em atos de corrupção.

A irradiação aplicava-se também aos russos Valentin Balakhnichev, tesoureiro do organismo máximo do atletismo até dezembro de 2014 e antigo presidente da federação do seu país, e Alexei Melnikov, antigo treinador da seleção de marcha.

A IAAF foi abalada por suspeitas de corrupção e irregularidades relacionadas com doping na sequência de um relatório divulgado em novembro pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), que já levou à suspensão da Federação Russa de Atletismo, por uso por uso sistemático de doping.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.