sicnot

Perfil

Desporto

Papa Francisco rezou por Michael Schumacher

O papa Francisco rezou hoje pelo piloto alemão Michael Schumacher e ofereceu o seu apoio à campanha desenvolvida pela Fórmula 1 para reduzir o número de crianças vítimas de acidentes de automóvel.

Gregorio Borgia

A prece do papa resultou de um pedido do francês Jean Todt, presidente da Federação Internacional do Automóvel (FIA), que hoje visitou o Vaticano para apresentar a campanha "Save Kids Lives", de prevenção rodoviária.

Schumacher sofreu um grave acidente de esqui a 29 de dezembro de 2013, que o deixou em coma, uma situação da qual saiu apenas em junho de 2014. Em setembro do mesmo ano, foi transferido do hospital onde se encontrava internado para prosseguir a reabilitação em casa.

Em novembro de 2014, o antigo piloto Philippe Streiff, que também se encontra numa cadeira de rodas, veio revelar que Schumacher não consegue falar, está paralisado e tem problemas de memória, uma informação confirmada por Todt, seu antigo patrão, em novembro passado, quando confirmou que a lenda da Fórmula 1 continuava a lutar.

Sobre a campanha, o presidente da FIA revelou que o papa ficou muito sensibilizado com o vídeo de três minutos que foi exibido.

"Explicámos que 500 crianças morrem na estrada todos os dias e que 20.000 ficam feridas diariamente", disse Todt à rádio Vaticano.

Lusa

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.