sicnot

Perfil

Desporto

Real Madrid vai recorrer da proibição da FIFA de inscrever novos jogadores

O Real Madrid revelou esta quinta-feira que vai "recorrer a todas as instâncias desportivas" quanto à proibição imposta pela FIFA de inscrever novos futebolistas, considerando que os argumentos usados são "absolutamente improcedentes".

O Real Madrid refuta todos os pontos, assegurando que cumpriu com todas as exigências da FIFA e sempre atuou em estrito cumprimento das regras da federação espanhola. (Arquivo)

O Real Madrid refuta todos os pontos, assegurando que cumpriu com todas as exigências da FIFA e sempre atuou em estrito cumprimento das regras da federação espanhola. (Arquivo)

© Andrea Comas / Reuters

"O Real Madrid vai recorrer da decisão da FIFA em todas as instâncias desportivas, por considerá-la absolutamente improcedente", referem os 'merengues', após desmontarem, um a um, os argumentos da sanção.

A FIFA proibiu o Real Madrid e o Atlético de Madrid de inscreverem novos jogadores durante um ano, por violação das regras relativas à contratação de menores de 18 anos.

Os principais clubes da capital espanhola poderão ainda efetuar contratações até ao fim de janeiro de 2016, mas, após o fecho do atual mercado de transferências, apenas poderão inscrever novos jogadores no fim da época 2016/2017.

"Os dois clubes foram considerados culpados da violação de várias normas relativas à transferência internacional e inscrição de jogadores estrangeiros menores, bem como de outras disposições relevantes relacionadas com a inscrição e participação de jogadores em algumas competições", indicou a FIFA, em comunicado.

O Real Madrid refuta todos os pontos, assegurando que cumpriu com todas as exigências da FIFA e sempre atuou em estrito cumprimento das regras da federação espanhola.

Terceiro classificado na atual liga espanhola, o clube dos internacionais lusos Cristiano Ronaldo e Pepe foi ainda multado em 360.000 francos suíços (330.000 euros), enquanto o Atlético de Madrid, líder do campeonato espanhol, no qual alinha o médio português Tiago, foi multado em 900.000 francos suíços (820.000 euros).

A investigação da qual resultou a sanção anunciada hoje pela FIFA centrou-se entre 2005 e 2014, no caso do Real Madrid, e entre 2007 e 2014, no caso do Atlético de Madrid, estando ambos obrigados a "regularizar a situação de todos os menores afetados" no prazo de 90 dias.

A proibição aplica-se aos dois próximos períodos oficiais para a transferência de futebolistas, mas não ao atual, que termina a 31 de janeiro, "uma vez que este começou antes de [Real Madrid e Atlético de Madrid] terem sido notificados da decisão" da Comissão Disciplinar da FIFA.

O FC Barcelona, principal rival dos dois clubes de Madrid, também foi impedido de inscrever novos jogadores durante um ano, pelo mesmo motivo, proibição que terminou, precisamente, em janeiro de 2016, na reabertura do mercado de transferências.

Apesar de ter contratado no último defeso o médio turco Arda Turan, ao Atlético de Madrid, e o defesa Aleix Vidal, ao Sevilha, o campeão espanhol e europeu apenas pôde inscrever os novos reforços no início do ano.

Lusa

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho