sicnot

Perfil

Desporto

Hélder Rodrigues vence 12.ª etapa e sobe a quarto

O 'motard' português Hélder Rodrigues (Yamaha) venceu hoje o setor de motas da 12.ª e penúltima etapa do rali todo-o-terreno Dakar2016, que termina no sábado na Argentina.

Vencedor de cinco etapas em edições anteriores desta prova de todo-o-terreno, Hélder Rodrigues alcançou o primeiro triunfo em 2015, gastando 3:40.10 horas para cumprir os 318 quilómetros cronometrados do dia. (Arquivo)

Vencedor de cinco etapas em edições anteriores desta prova de todo-o-terreno, Hélder Rodrigues alcançou o primeiro triunfo em 2015, gastando 3:40.10 horas para cumprir os 318 quilómetros cronometrados do dia. (Arquivo)

AP

Hélder Rodrigues, que tem como melhores resultados finais os terceiros lugares nas edições de 2011 e 2012, cumpriu os 450 quilómetros cronometrados da etapa, que ligou San Juan a Villa Carlos Paz, em 5:57.24 horas, menos 7.32 minutos do que o australiano Toby Price (KTM), segundo na etapa e líder destacado da prova.

Com este resultado, o piloto luso ascendeu ao quarto posto da geral, ultrapassando o argentino Kevin Benavides (Honda), para o qual detém agora uma vantagem de 2.59 minutos.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.