sicnot

Perfil

Desporto

Avançado Salva Chamorro deixa o Tondela

O avançado espanhol Salva Chamorro deixou esta segunda-feira de fazer parte do plantel do Tondela, último classificado da I Liga portuguesa de futebol, revelou o clube.

O avançado espanhol, de 25 anos, apontou, na última jornada frente ao Sporting, o golo que ditou o empate (2-2) ao Tondela.

O avançado espanhol, de 25 anos, apontou, na última jornada frente ao Sporting, o golo que ditou o empate (2-2) ao Tondela.

Lusa

Em comunicado, a direção do Tondela revelou ter chegado a acordo com o atleta Salva Chamorro para a rescisão do contrato, que vigorava até junho deste ano.

"O atleta apresentou fortes motivações pessoais e familiares ao solicitar a rescisão do contrato", acrescentou.

Os responsáveis pelo clube 'auriverde' aproveitaram para agradecer "todo o profissionalismo e dedicação sempre demonstrados" por Salva Chamorro, que chegou a Tondela em agosto de 2015, vindo do Lérida.

O avançado espanhol, de 25 anos, apontou, na última jornada frente ao Sporting, o golo que ditou o empate (2-2) ao Tondela, naquele que foi o único golo que marcou a contar para a I Liga de futebol.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.