sicnot

Perfil

Desporto

Peseiro está no "clube ideal para as grandes conquistas", considera o FC Porto

O FC Porto desejou hoje "toda a sorte do mundo" a José Peseiro, considerando que o novo treinador de futebol dos "dragões" está no "clube ideal para as grandes conquistas".

LUSA/ ARQUIVO

"[José Peseiro] Hoje assistirá ao jogo da Taça da Liga, em Famalicão, começando amanhã [quinta-feira] a dirigir a equipa. A apresentação oficial será às 13:30. A José Peseiro desejamos bom trabalho, toda a sorte do mundo, com a certeza que o FC Porto é o clube ideal para as grandes conquistas", refere o clube portista na sua newsletter diária.

Na mesma publicação, o FC Porto confirma que Rui Barros, treinador interino depois da demissão de Julen Lopetegui, ainda orientará hoje os dragões na visita ao Famalicão, em jogo da segunda jornada do Grupo A das Taça da Liga.

O clube confirma também que a estreia oficial de José Peseiro no banco está marcada para o próximo domingo, quando o FC Porto receber o Marítimo, na 19.ª jornada da I Liga.

O FC Porto anunciou na terça-feira a contratação de José Peseiro, que se desvinculou dos egípcios do Al Ahli para assinar um contrato de ano e meio.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.