sicnot

Perfil

Desporto

Golfista Melo Gouveia termina Open do Abu Dhabi em 61º lugar

O golfista português Ricardo Melo Gouveia terminou hoje o Open do Abu Dhabi no 61º lugar, uma prova que teve vitória final do norte-americano Rickie Fowler.

Lusa

Ricardo Melo Gouveia completou hoje no par a terceira volta do torneio (a competição foi interrompida no sábado por falta de luz natural), com um total de 72 pancadas, quatro 'birdies' (uma pancada abaixo) e quatro 'bogeys' (uma acima).

O jogador português voltou a fazer o par na quarta e última volta, novamente com quatro 'birdies' e quatro 'bogeys', terminando com um agregado de 287 pancadas, inserido no grupo dos 61.ºs.

No final do torneio, dotado de prémios no valor de 2,5 milhões de euros, o sul-africano Branden Grace foi destronado na liderança pelo norte-americano Rickie Fowler, que realizou um total de 272 pancadas.

Em segundo lugar ficou o belga Thomas Pieters, com 273 pancadas, e em terceiro o sueco Henrik Stenson, com 274 pancadas.

Este é o terceiro torneio que Ricardo Melo Gouveia disputou como membro efetivo do principal circuito europeu, depois do 51.º lugar no Open de Joanesburgo e do 18.º posto no Dunhill Championship em golfe, ambos na África do Sul.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.