sicnot

Perfil

Desporto

Atlético de Madrid recorre do castigo da FIFA

O Atlético de Madrid recorreu esta segunda-feira da sanção da FIFA que proíbe a equipa de inscrever novos jogadores durante um ano, por violação das regras relativas à contratação de futebolistas menores de 18 anos.

Estádio Vicente Calderón, em Madrid

Estádio Vicente Calderón, em Madrid

© Reuters Staff / Reuters

"O Atlético de Madrid apresentou hoje recurso da resolução da Comissão Disciplinar da FIFA", anunciou o clube madrileno em comunicado publicado na sua página oficial na internet, no qual especifica que no apelo ao Comité de Recurso expressa o seu desacordo relativamente ao castigo e pede a suspensão cautelar do mesmo enquanto não seja analisado o recurso.

Na nota, os 'rojiblancos' defendem ainda que agiram sempre dentro da legalidade em todos os casos de contratações de menores de 18 anos.

A 14 de janeiro, a FIFA proibiu o Real Madrid e o Atlético de Madrid de inscreverem novos jogadores durante um ano, por violação das regras relativas à contratação de menores de 18 anos.

Os principais clubes da capital espanhola poderão ainda efetuar contratações até ao fim de janeiro de 2016, mas, após o fecho do atual mercado de transferências, apenas poderão inscrever novos jogadores no fim da época 2016/2017.

"Os dois clubes foram considerados culpados da violação de várias normas relativas à transferência internacional e inscrição de jogadores estrangeiros menores, bem como de outras disposições relevantes relacionadas com a inscrição e participação de jogadores em algumas competições", indicou a FIFA, em comunicado.

O Atlético de Madrid foi multado em 900.000 francos suíços (820.000 euros), enquanto o Real Madrid terá de pagar uma multa de 360.000 francos suíços (330.000 euros).

A investigação da qual resultou a sanção centrou-se entre 2007 e 2014, no caso do Atlético de Madrid, e entre 2005 e 2014, no caso do Real Madrid, estando ambos os clubes obrigados a "regularizar a situação de todos os menores afetados" no prazo de 90 dias.

Lusa

  • Viver em Évora
    5:11
  • Projeto piloto no Porto com o objetivo de detetar Ambliopia em crianças
    1:16

    País

    São resultados que dizem respeito apenas ao Grande Porto, mas que podem dar uma ajuda para traçar o panorama nacional: 13% das crianças que participaram num rastreio à saúde visual tiveram de ser encaminhadas para consultadas da especialidade. O projeto piloto foi implementado em quatro concelhos do norte do país, mas pode ser alargado.