sicnot

Perfil

Desporto

Atlético de Madrid recorre do castigo da FIFA

O Atlético de Madrid recorreu esta segunda-feira da sanção da FIFA que proíbe a equipa de inscrever novos jogadores durante um ano, por violação das regras relativas à contratação de futebolistas menores de 18 anos.

Estádio Vicente Calderón, em Madrid

Estádio Vicente Calderón, em Madrid

© Reuters Staff / Reuters

"O Atlético de Madrid apresentou hoje recurso da resolução da Comissão Disciplinar da FIFA", anunciou o clube madrileno em comunicado publicado na sua página oficial na internet, no qual especifica que no apelo ao Comité de Recurso expressa o seu desacordo relativamente ao castigo e pede a suspensão cautelar do mesmo enquanto não seja analisado o recurso.

Na nota, os 'rojiblancos' defendem ainda que agiram sempre dentro da legalidade em todos os casos de contratações de menores de 18 anos.

A 14 de janeiro, a FIFA proibiu o Real Madrid e o Atlético de Madrid de inscreverem novos jogadores durante um ano, por violação das regras relativas à contratação de menores de 18 anos.

Os principais clubes da capital espanhola poderão ainda efetuar contratações até ao fim de janeiro de 2016, mas, após o fecho do atual mercado de transferências, apenas poderão inscrever novos jogadores no fim da época 2016/2017.

"Os dois clubes foram considerados culpados da violação de várias normas relativas à transferência internacional e inscrição de jogadores estrangeiros menores, bem como de outras disposições relevantes relacionadas com a inscrição e participação de jogadores em algumas competições", indicou a FIFA, em comunicado.

O Atlético de Madrid foi multado em 900.000 francos suíços (820.000 euros), enquanto o Real Madrid terá de pagar uma multa de 360.000 francos suíços (330.000 euros).

A investigação da qual resultou a sanção centrou-se entre 2007 e 2014, no caso do Atlético de Madrid, e entre 2005 e 2014, no caso do Real Madrid, estando ambos os clubes obrigados a "regularizar a situação de todos os menores afetados" no prazo de 90 dias.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.