sicnot

Perfil

Desporto

Autoridades italianas investigam 64 pessoas ligadas ao futebol por evasão fiscal

As autoridades fiscais italianas abriram uma investigação por alegada evasão fiscal e faturas falsas contra 64 pessoas ligadas ao futebol, entre os quais dirigentes, jogadores e treinadores.

O futebolista argentino Ezequiel Lavezzi, do PSG, é um dos visados.

O futebolista argentino Ezequiel Lavezzi, do PSG, é um dos visados.

© Stephane Mahe / Reuters

Segundo a agência noticiosa italiana Ansa, a investigação, à qual foi dado o nome "Futebol em fora de jogo", incide sobre factos ocorridos entre 2009 e 2013 e implica 35 clubes de futebol.

De acordo com a mesma fonte, a investigação baseia-se na existência de "um sistema organizado de evasão fiscal" na contratação de jogadores, que pode ter atingido os 12 milhões de euros.

Entre os investigados figuram nomes como Adriano Galliani, administrador desportivo do AC Milan, os presidentes do Napoles, Aurelio De Laurentiis, e da Lazio, Claudio Lotito, e os futebolistas argentinos Ezequiel Lavezzi e Hernan Crespo, atual treinador do Modena.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.