sicnot

Perfil

Desporto

Panathinaikos coloca balões no lugar de adeptos em bancada interdita

O Panathinaikos decidiu esta quarta-feira colocar centenas de balões verdes e brancos no lugar dos adeptos que supostamente deviam encher uma das bancadas do seu estádio, interdita até ao fim da época por mau comportamento dos seus adeptos.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Kostas Tsironis / Reuters

No desafio da Taça da Grécia, frente ao modesto Atromitos, o clube ateniense, onde joga o português Zeca, protestou contra a sanção do Ministério do Desporto de fechar as portas 13 e 14, onde se situam os adeptos mais problemáticos.

Em causa estão as sanções pela violência verificada no dérbi com o Olympiakos, treinado por Marco Silva, a 21 de novembro, quando os adeptos do Panathinaikos se envolveram em confrontos com a polícia dentro e fora do estádio, levando à anulação do desafio, mesmo antes de principiar.

A equipa visitante ficou retida três horas no estádio Apostolos Nikolaidis.

Catorze adeptos foram detidos nos incidentes que feriram três polícias, um deles em estado grave. Os prevaricadores arremessaram pedras e material pirotécnico, com as autoridades a responder com gás lacrimogénio.

O Panathinaikos viu o seu estádio interdito por quatro desafios e foi multado em 280.000 euros, além de lhe terem sido subtraídos três pontos.

Atualmente, cumpridas 19 jornadas, o Panathinaikos é terceiro do campeonato, com 35 pontos, a 20 do rival Olympiakos.

O vice-presidente do Olympiakos Savvas Theodoridis contou que o avançado islandês Alfred Finnbogason ficou com a mão queimada e que o médio sérvio Luka Milivojevic também foi atingido por material pirotécnico.

O Panathinaikos é um dos grandes clubes da Grécia, tendo ganho 20 campeonatos e 18 taças.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.