sicnot

Perfil

Desporto

Sérgio Conceição quer Vitória precavido frente ao União da Madeira

O treinador do Vitória de Guimarães, Sérgio Conceição, disse esta quinta-feira que a sua equipa deve precaver-se para "não andar atrás do prejuízo" na receção de sexta-feira ao União da Madeira, da 20ª jornada da I Liga de futebol.

"Devemos estar alertados para não andar atrás do prejuízo. Agir e não reagir vai ser importante. Temos de assumir a responsabilidade de querer ganhar o jogo e os três pontos e vamos com a mesma ambição de sempre, para fazer tudo para consegui-los", disse o técnico vimaranense.

"Devemos estar alertados para não andar atrás do prejuízo. Agir e não reagir vai ser importante. Temos de assumir a responsabilidade de querer ganhar o jogo e os três pontos e vamos com a mesma ambição de sempre, para fazer tudo para consegui-los", disse o técnico vimaranense.

MANUEL ALMEIDA / Lusa

Os vitorianos empataram, na última jornada, a três golos frente ao Belenenses, numa partida em que estiveram sempre atrás no marcador, acabando por anular duas desvantagens, e o técnico deixou claro que não quer que a situação se repita frente aos madeirenses.

"Devemos estar alertados para não andar atrás do prejuízo. Agir e não reagir vai ser importante. Temos de assumir a responsabilidade de querer ganhar o jogo e os três pontos e vamos com a mesma ambição de sempre, para fazer tudo para consegui-los", adiantou, na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com os madeirenses.

O próximo adversário dos vimaranenses é uma formação que vem de duas vitórias consecutivas em dois dérbis madeirenses, com Marítimo (1-0) e Nacional (3-0), e que o timoneiro dos minhotos acredita ser "perigosa", com "jogadores rápidos" nas saídas em contra-ataque.

"De há uns jogos a esta parte, tem recuperado o estado anímico, e recuperado na tabela classificativa, e é uma equipa com jogadores capazes de criar dificuldades, jogando fora. Vejo jogadores rápidos, que fazem das transições da defesa para o ataque um ponto forte da equipa", anteviu.

O treinador vitoriano garante, por isso, que "o momento defensivo mais importante será o compromisso depois de perder a bola", apesar da equipa manter os "princípios defensivos, independentemente do adversário", começando "a defender a partir dos atacantes"

"Está tudo ligado. O trabalho ofensivo tem a ver com o trabalho defensivo. Começamos a organizar o jogo a partir de trás e começamos a defender a partir dos atacantes. Se gostava de empatar 3-3, obviamente que não. Gostaria de ganhar 4-3 ou de ganhar 1-0. Ao não sofrer golos estamos sempre mais perto de ganhar jogos", esclareceu.

Sérgio Conceição defendeu ainda, a propósito do fecho do mercado de transferências, que "a janela que abre em janeiro não é nada benéfica para as equipas", pois "mexe com o estado emocional dos jogadores", e disse não ter qualquer indicação das chegadas do peruano Hurtado, que já jogou no Paços de Ferreira, e do colombiano José Valencia, avançados apontados como reforços do Vitória.

O técnico pronunciou-se também sobre Francis, extremo brasileiro oficializado na quarta-feira, descrevendo-o como "um ala rápido, que desequilibra com facilidade", mas que vai ter um "período de adaptação", visto que tem grandes dificuldades em situações que requerem "rigor tático".

O Vitória de Guimarães, sexto classificado, com 27 pontos, defronta o União da Madeira, 11.º, com 23, pelas 20:30 de sexta-feira, no Estádio D. Afonso Henriques, em jogo que será arbitrado por Rui Oliveira, da Associação de Futebol do Porto.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11