sicnot

Perfil

Desporto

FIFA suspende castigo ao Atlético de Madrid até tomar decisão sobre recurso

A Comissão de Recurso da FIFA suspendeu de forma cautelar o impedimento de inscrever futebolistas imposto ao Atlético de Madrid, até que decida o recurso apresentado pelo clube da Liga espanhol.

© Susana Vera / Reuters

Na segunda-feira, o Atlético de Madrid tinha apresentado um recurso ao castigo que lhe foi imposto pela FIFA, num documento em que pedia também a suspensão cautelar da sanção, considerando que tinha sempre trabalhado dentro da legalidade.

A 14 de janeiro, a FIFA proibiu o Atlético de Madrid, assim como o Real Madrid, de inscrever novos jogadores durante um ano, por violação das regras relativas à contratação de menores de 18 anos.

Os principais clubes da capital espanhola poderão ainda efetuar contratações até ao fim de janeiro de 2016, mas, após o fecho do atual mercado de transferências, apenas poderão inscrever novos jogadores no fim da época 2016/2017.

"Os dois clubes foram considerados culpados da violação de várias normas relativas à transferência internacional e inscrição de jogadores estrangeiros menores, bem como de outras disposições relevantes relacionadas com a inscrição e participação de jogadores em algumas competições", indicou a FIFA, em comunicado.

O Atlético de Madrid foi multado em 900.000 francos suíços (820.000 euros), enquanto o Real Madrid terá de pagar uma multa de 360.000 francos suíços (330.000 euros).

A investigação da qual resultou a sanção centrou-se entre 2007 e 2014, no caso do Atlético de Madrid, e entre 2005 e 2014, no caso do Real Madrid, estando ambos os clubes obrigados a "regularizar a situação de todos os menores afetados" no prazo de 90 dias.

Lusa

  • Oceanário de Lisboa dá formação sobre impacto da acumulação de plásticos nos oceanos
    2:37
  • Trump e Netanyahu discutiram "ameaças que o Irão coloca"

    Mundo

    O novo Presidente norte-americano, Donald Trump, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, debateram "as ameaças que o Irão coloca" e concordaram que a paz israelo-palestiniana só pode ser "negociada diretamente", anunciou este domingo a Casa Branca.