sicnot

Perfil

Desporto

Jamie Vardy prolonga contrato com o Leicester até 2019

O avançado Jamie Vardy, melhor marcador do campeonato inglês de futebol, prolongou até 2019 o contrato com o Leicester, anunciou este sábado o líder da prova, no dia em que conquistou uma vitória importante, sobre o Manchester City.

"Estou muito feliz por estar a lutar para conquistar algo de especial por este clube. Nunca encontrei um espírito como este, desde os donos, à equipa técnica, passando pelos jogadores e os adeptos. Quero fazer parte deste clube por muito tempo", disse Vardy.

"Estou muito feliz por estar a lutar para conquistar algo de especial por este clube. Nunca encontrei um espírito como este, desde os donos, à equipa técnica, passando pelos jogadores e os adeptos. Quero fazer parte deste clube por muito tempo", disse Vardy.

Rui Vieira / AP

"Estou muito feliz por estar a lutar para conquistar algo de especial por este clube. Nunca encontrei um espírito como este, desde os donos, à equipa técnica, passando pelos jogadores e os adeptos. Quero fazer parte deste clube por muito tempo", disse Vardy.

O avançado, de 29 anos, tem sido um dos jogadores mais influentes do Leicester, apesar de hoje não marcado qualquer golo no triunfo dos 'foxes' no estádio do perseguidor Manchester City, por 3-1, em jogo da 25.ª jornada do campeonato.

O Leicester reforçou o comando da prova, com cinco pontos de vantagem sobre o Tottenham, segundo classificado, que se impôs por 1-0 na receção ao Watford, e seis sobre o City, assumindo-se como o mais sério candidato à conquista do primeiro título de campeão inglês, em 132 anos de história.

"O Leicester demonstrou total confiança em mim desde o dia em que cheguei ao clube, há três anos e meio e é impossível dizer quanto essa confiança me ajudou a tornar-me um jogador melhor, observou o avançado inglês.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras