sicnot

Perfil

Desporto

"É uma inevitabilidade o Braga ser campeão nacional"

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, considerou esta segunda-feira ser "uma inevitabilidade" o Sporting de Braga ser, mais tarde ou mais cedo, campeão nacional de futebol.

Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional. (Arquivo)

Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional. (Arquivo)

Fernando Veludo / Lusa

"É uma inevitabilidade [o Sporting de Braga ser campeão nacional], mais tarde ou mais cedo isso vai acontecer, seja o Braga, o Vitória de Guimarães ou outro clube de segunda linha, e isso será bom para o futebol português", afirmou à entrada do Theatro Circo, em Braga, onde decorreu a I Gala Legião de Ouro, na comemoração do 95.º aniversário do Sporting de Braga.

Da mesma opinião foi o presidente da câmara bracarense, Ricardo Rio, notando que para isso seja possível não poder haver "barreiras externas" e que possa "ser de forma sustentada e não um acidente de percurso".

O autarca disse ainda acreditar ser possível que o Sporting de Braga ganhe esta temporada "um título pelo menos".

Já o treinador da equipa, Paulo Fonseca, preferiu ser mais prudente.

"Somos muito realistas, é muito difícil chegar mais acima, até porque esta temporada há um grande equilíbrio e é uma luta a três. Estabilizámos no quarto lugar, o que nos dá algum conforto e vantagem em relação às outras equipas para o resto da época", disse.

O técnico, contudo, disse que ele e a equipa gostariam de dar uma alegria ao clube e aos bracarenses e ganhar a Taça de Portugal, troféu que, lembrou, esteve perto de vir para Braga na época passada.

Notou que o Sporting de Braga é a única equipa portuguesa que luta por todos os objetivos e frisou a vontade de fazer uma segunda volta melhor do que a primeira.

Na gala marcaram presença ainda várias personalidades do futebol português, entre eles o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, e esperava-se a chegada de Marcelo Rebelo de Sousa, recém-eleito Presidente da República e assumido adepto dos 'arsenalistas'.

Lusa

  • PS vai continuar a procurar entendimentos à esquerda
    1:38
  • Carlos César admite diálogo "mais fácil" com PSD de Rio
    1:36

    País

    O presidente e líder parlamentar do PSD diz que o partido não precisa de novos aliados, mas acredita que vai ser mais fácil dialogar com o PSD liderado por Rui Rio, Carlos César visitou esta segunda-feira as regiões afetadas pelos incêndios do ano passado, no primeiro dia das jornadas parlamentares dos socialistas.

  • 22 mortos devido a gripe H1N1 no Equador

    Mundo

    Uma epidemia de gripe H1N1 provocou a morte de 22 pessoas no Equador, onde estão diagnosticados perto de 500 casos, anunciou esta segunda-feira o vice-ministro da Saúde, Carlos Duran.

  • Benfica é o único clube português na lista dos mais ricos
    1:34
  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.

  • Os três pontos de Ronaldo
    1:16
  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC