sicnot

Perfil

Desporto

Rio Haryanto assina pela Manor e torna-se o primeiro indonésio na F1

O piloto Rio Haryanto vai tornar-se o primeiro indonésio a competir no Campeonato do Mundo de Fórmula 1, ao assinar contrato por um ano com a Manor Racing, anunciou hoje a escuderia britânica.

© Darren Whiteside / Reuters

Haryanto, de 23 anos, vai estrear-se na categoria rainha do desporto automóvel a 20 de março, no Grande Prémio da Austrália, prova de abertura do Mundial de 2016, formando a dupla de piloto da Manor com o germânico Pascal Wehrlein, vencedor do Campeonato Alemão de Carros de Turismo.

«Ainda não acredito que isto aconteceu. São notícias fantásticas e darei o meu melhor para me tornar num piloto de Fórmula 1», disse o indonésio, considerado «um grande talento» pelo diretor desportivo da Manor, Dave Ryan.

O anúncio da contratação de Haryanto pôs fim às expectativas do norte-americano Alexander Rossi e do inglês Will Stevens de ocuparem o lugar de segundo piloto da Manor.

Lusa

  • Segurança da Academia de Alcochete avisado 10 minutos antes do ataque
    1:57
  • "Não acho que seja prudente" o regresso dos atletas à Academia do Sporting
    5:49

    Crise no Sporting

    As agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting, na Academia de Alcochete, foram o tema de uma entrevista a Ana Bispo Ramires, psicologa do desporto. Questionada sobre se os jogadores deveriam regressar ou não à academia, Ana Bispo Ramires diz que não devem fazê-lo e explica que é importante que haja medidas de atuação, o mais rápido possível, para que os atletas e restante equipa técnica do clube possam reprocessar, do ponto de vista cognitivo, as ameaças que sofreram. 

  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC