sicnot

Perfil

Desporto

Cristiano Ronaldo admite continuar em Madrid após terminar carreira

O futebolista internacional português Cristiano Ronaldo, de 31 anos, admitiu hoje que se vê em Madrid após terminar a sua carreira, elogiando a capital espanhola, o seu clima e a proximidade com Portugal.

© Stefan Wermuth / Reuters

"Adoro viver em Madrid e vejo-me a viver aqui no final da minha carreira. [Espanha] é um país que me deu grande parte do que tenho, as pessoas são fantásticas, está próximo de Portugal e tem um bom clima, e isso agrada-me", salientou o jogador, em declarações ao sítio do Real Madrid.

Cristiano Ronaldo, três vezes considerado o melhor jogador do Mundo (2008, 2013, 2014), tem sido muitas vezes apontado ao Paris Saint-Germain ou ao Manchester United, clube que já representou.

Nos 'merengues', na sua sétima época, o avançado português é já o melhor marcador de todos os tempos, com 347 golos marcados, apesar de ter apenas um campeonato conquistado e uma Liga dos Campeões.

"Sempre pensei vir para qui para mostrar que sou o melhor. Tento fazê-lo ano após ano, não apenas com títulos, mas com golos e prestações. A pouco e pouco vou deixando a minha marca, onde quer que vá", justificou.

Em relação à Liga deste ano, na qual o Real Madrid já está a nove pontos de distância do líder FC Barcelona, o jogador admite que está difícil, mas considera que tudo ainda é possível até ao final.

"O futebol é uma caixa de surpresas e tudo pode acontecer. Temos que lutar até ao fim. Espero que no sábado tenhamos um grande jogo [o Real recebe o Atlético Madrid, segundo classificado] e que o Real Madrid possa ganhar", disse.

Cristiano Ronaldo falou ainda da pressão que um clube da dimensão do Real Madrid terá sempre e que a maior ambição do 'madridismo' é sempre a Liga dos Campeões.

"Tivemos a oportunidade de a ganhar há dois anos [final com o Atlético Madrid no Estádio da Luz], foi um momento único para todos e para os adeptos", considerou Cristiano Ronaldo, dizendo estar orgulhoso das sete épocas em Madrid.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.