sicnot

Perfil

Desporto

Portugal foi o destino preferencial de futebolistas brasileiros em 2015

Portugal foi o principal destino e ponto de partida de jogadores brasileiros que protagonizaram transferências internacionais durante o ano de 2015, revela um estudo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Helton guarda-redes brasileiro no FC Porto.

Helton guarda-redes brasileiro no FC Porto.

REUTERS

Ao longo do último ano, a CBF registou 1.359 entradas e saídas de futebolistas daquele país, dos quais 136 se transferiram para clubes lusos. No mesmo período, 98 brasileiros que disputaram campeonatos portugueses regressaram a 'casa'.

Razões como "as facilidades com o idioma e com a burocracia na imigração" são as causas apontadas no estudo apresentado pela CBF para explicar que Portugal fosse "o principal destino dos jogadores brasileiros em 2015".

No 'ranking' dos 20 países mais procurados pelos futebolistas daquele país, Japão (44), Coreia do Sul (26) e Emirados Árabes Unidos e Uruguai (23) são os que surgem a seguir a Portugal, ocupando os japoneses (34) e os coreanos (26) o segundo e terceiro lugares na lista de regressos ao Brasil.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras