sicnot

Perfil

Desporto

Infantino quer "restaurar a imagem e o respeito" pela FIFA

O recém-eleito presidente da FIFA, Gianni Infantino, disse hoje pretender "restaurar a imagem e o respeito" pela instituição máxima do futebol mundial, assegurando que os "momentos tristes e de crise" terminaram.

Schalk van Zuydam

"Vamos restaurar a imagem da FIFA e o respeito pela FIFA e todos nos aplaudirão", disse o ainda secretário-geral da UEFA, numa intervenção perante o Congresso extraordinário da instituição, que o elegeu para suceder a Joseph Blatter na liderança.

O atual momento da instituição não podia ser esquecido: "Atravessámos momentos tristes, momentos de crise, mas esses tempos terminaram. Graças a todos, vamos trabalhar juntos. A FIFA deu hoje um grande sinal de democracia. Quero trabalhar com todos para criar uma nova era na FIFA, com o futebol no centro."

Aludindo ao périplo que realizou para promover a sua candidatura e à possibilidade que teve de "conhecer gente fantástica e que ama o futebol", Infantino lançou um desafio: "Vamos trabalhar juntos, precisamos do respeito do mundo inteiro e de nos concentrarmos novamente neste magnífico jogo."

Perante o Congresso extraordinário da FIFA, Gianni Infantino afirmou o objetivo de "trabalhar por todo o mundo" para que o futebol volte a ser "o centro" no "novo período" que hoje se abre.

O ítalo-suíço Gianni Infantino foi hoje eleito presidente da FIFA, organismo que tutela o futebol mundial, ao vencer as eleições à segunda volta, sucedendo ao suíço Joseph Blatter.

O secretário-geral da UEFA recebeu, na segunda volta, 115 votos, ficando à frente do xeque Salman bin Ebrahim al-Khalifa (88) e do príncipe jordano Ali bin al Hussein (quatro), enquanto o francês Jérôme Champagne não recolheu qualquer voto. Antes, já o sul-africano Tokyo Sexwale tinha desistido.

Infantino é o nono presidente da história da FIFA, sucedendo a Blatter, que, após 17 anos no cargo, deixou a liderança na sequência de um escândalo de corrupção, acabando mesmo por ser suspenso por seis anos.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.