sicnot

Perfil

Desporto

Luís Figo diz que "Finalmente a mudança chegou" à FIFA

Luís Figo, ex-candidato à presidência da FIFA, considerou hoje que "finalmente a mudança chegou" ao organismo com a eleição do ítalo-suíço Gianni Infantino para substituir Joseph Blatter na presidência.

© Andrea Comas / Reuters

"Felicidades Gianni. Finalmente a mudança chegou. Este é o momento de uma nova era para a FIFA", disse, no twitter, o português que foi candidato às eleições de 29 de maio 2015, mas que se retirou por entender que não estavam reunidas as condições de democraticidade e transparência.

Os presidentes da federação e da Liga de clubes, Fernando Gomes e Pedro Proença, respetivamente, já se tinham congratulado com o resultado das eleições que deram 115 votos ao secretário-geral da UEFA, que ficou à frente do xeque Salman bin Ebrahim al-Khalifa (88) e do príncipe jordano Ali bin al Hussein (quatro), enquanto o francês Jérôme Champagne não recolheu qualquer voto.

Entre outras reações, o francês François Carrard, presidente da comissão de reformas da FIFA e antigo diretor do Comité Olímpico Internacional, lembra que Infantino "trabalhou duro" e sempre defendeu as "reformas mais agressivas" no pelouro que dirige, recordando-lhe agora que "há muito pela frente" na missão de renovar o organismo.

Javier Tebas, presidente da Liga espanhola, desejou-lhe sorte e trabalho "para colocar um fim à corrupção política e económica no futebol".

Greg Dyke, presidente da federação inglesa, recordou que Infantino "não é um político nem uma superestrela, apenas muito organizado, tendo liderado muito bem a UEFA, pelo que será grande presidente da FIFA".

"Acho que podemos estar otimistas quanto ao futuro da FIFA depois de um ano terrível. A FIFA foi uma organização corrupta durante longo tempo, mas agora há uma esperança para o futuro", complementou.

O presidente da federação francesa, Noel le Graet, fala em "nova marca de governança e nova era" para a FIFA, esperançado que o futebol em si passe a ser o centro das suas preocupações e atenção.

"Gianni é o homem para o trabalho. Ele é um homem de ação, que foi capaz de conciliar os interesses de todas as federações, grandes ou pequenas, dentro da UEFA. Tem todo o nosso apoio para proceder à renovação da FIFA", completou.

Do Canadá, Victor Montagliani elogiou a capacidade de gerir os diversos dossiers do futebol e de Infantino falar cinco línguas, manifestando ainda o desejo de que a renovação do futebol não se resuma à FIFA, mas também às diversas confederações continentais.

"As coisas vão mudar. Há uma nova geração de dirigentes e impera a democracia, como o prova os quatro candidatos às eleições. Democracia e transparência é melhor para todos", ajuntou.

Praful Patel espera que o novo presidente ajude o futebol a tornar-se um "grande sucesso" na India, cuja federação dirige.

Infantino é o nono presidente da história da FIFA, sucedendo a Blatter, que, após 17 anos no cargo, deixou a liderança na sequência de um escândalo de corrupção, acabando mesmo por ser suspenso por seis anos.

Lusa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espirito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espirito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Mais de 60% dos jovens não usam preservativo e 1/4 acredita que SIDA transmite-se pelos talheres
    1:42
  • Dissonâncias entre EUA e Europa "podem ser ultrapassadas"
    1:04

    Mundo

    O ministro dos Negócios Estrangeiros reconhece que há sinais manifestos de dissonância na política externa da Europa e dos Estados Unidos da América. No dia em que Donald Trump completa um ano na Casa Branca, Augusto Santos Silva diz que acredita, no entanto, que essas divergências podem ser ultrapassadas.

  • Há mais um suspeito do massacre de Las Vegas 
    0:27

    Mundo

    Em outubro passado, Stephen Paddock abriu fogo sobre os espetadores de um concerto de música country, em Las Vegas, matando 58 pessoas e ferindo quase 500, no mais sangrento tiroteio da história norte-americana recente. A novidade é que a polícia federal dos EUA abriu uma investigação sobre um segundo suspeito no tiroteio. A Polícia Metropolitana disse que não há ainda um motivo para o tiroteio mas aponta como uma das possíveis razões o facto de Stephen Paddock ter perdido uma grande quantia de dinheiro. Os investigadores descobriram ainda que o atirador possuía pornografia infantil no seu computador.