sicnot

Perfil

Desporto

FC Barcelona goleia em Eibar e mantém-se imbatível

O FC Barcelona manteve hoje a sua invencível caminhada, no 11.º jogo a ganhar na Liga espanhola, na visita ao Eibar (4-0), mesmo sem contar com o 'tridente' de luxo, face à ausência de Neymar.

© Vincent West / Reuters

Com o internacional brasileiro a cumprir castigo, o técnico Luís Enrique surpreendeu ao apostar em Munir ao lado de Lionel Messi e Luís Suaréz, com os golos do 'Barça' a pertencerem na mesma ao trio, desta feita reformulado.

Munir, de 20 anos, espanhol de ascendência marroquina, do lado paterno, é o mesmo que há duas épocas, na final da Youth League Cup, marcou dois dos três golos com que os catalães venceram o Benfica na primeira edição da 'Champions' dos juniores.

Hoje, em Eibar, o FC Barcelona abriu o marcador por Munir, aos oito minutos, e depois foram os 'inevitáveis' Messi (aos 41 e aos 76, este de grande penalidade) e Luís Suárez (84) a darem contornos à goleada.

O triunfo também permitiu ao FC Barcelona igualar uma sequência de 36 jogos sem perder alcançada pelo AC Milan, de Gullit e Van Basten, em 1990/91, depois de já ter ultrapassado a marca de 34 jogos do Real Madrid (de 1988/89).

O jogo deu ainda para o uruguaio Luís Suárez somar o seu 26.º golo, situando-se a um de Cristiano Ronaldo (27) na lista dos melhores marcadores na Liga e da Bota de Ouro, troféu que premeia o melhor marcador na Europa.

O FC Barcelona lidera o campeonato com 72 pontos, mais 12 do que Real Madrid, terceiro, que no sábado goleou o Celta Vigo (7-1), com quatro golos de Cristiano Ronaldo.

Na segunda posição está o Atlético Madrid, a 11 pontos, mas que ainda hoje visita no Mestalla o Valência (9.º), equipa de João Cancelo e André Gomes.

Também hoje, o Bétis (11.º), que até viu Juan Vargas ser expulso (acumulação de amarelos) aos 53 minutos, complicou a vida ao Granada, num jogo em que venceu por 2-0.

A vitória da equipa sevilhana mantém o Granada, que teve Ricardo Costa e Miguel Lopes a titulares, na zona de descida (18.º).

Lusa

  • Depois do Fogo
    23:30

    Reportagem Especial

    Foi o incêndio mais mortífero de que há memória. No dia 17 de junho, as chamas apanharam desprevenidos moradores de vários concelhos e fizeram pelo menos 64 mortos. O incêndio prolongou-se durante vários dias deixando um rasto de histórias de perda e de sobrevivência, mas também de solidariedade de um sem número de pessoas anónimas.

  • "A menina agora volta para casa. Nós não." 

    Foi o desabafo do Cesário que me fez escrever qualquer coisa sobre o que vivi na última semana. Eram dez e pouco da noite, tinha acabado a vigília de homenagem às vítimas em Figueiró dos Vinhos e ele ainda tinha na mão um balão branco que àquela hora já só estava meio cheio. Era o último dia de uma longa e dura jornada de trabalho e estávamos a arrumar as coisas para no dia seguinte regressarmos a Lisboa.

    Débora Henriques

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24

    País

    Pedrógão Grande fez reviver o drama vivido pelas gentes da Serra do Caldeirão no verão de 2012. Falta de bombeiros, moradores retirados à força, casas e floresta destruídas são semelhanças que encontram nestes dramas separados por cinco anos.

  • Novo avião da TAP com pintura retro
    0:36

    Economia

    O novo avião da TAP chama-se "Portugal", tem uma pintura retro e vai sobrevoar os céus do pais a partir desta segunda-feira. A companhia aérea explica que o nome e a pintura são uma forma de homenagear a ligação histórica entre a empresa e o país.