sicnot

Perfil

Desporto

Ex-treinador de Sharapova responsabiliza staff da russa pelo caso de doping

O norte-americano Jeff Tarango, antigo treinador de Maria Sharapova, responsabilizou hoje o 'staff' da tenista russa pelo resultado positivo num controlo antidoping realizado durante o Open da Austrália.

© Grigory Dukor / Reuters

A tenista, de 28 anos, revelou na segunda-feira que teve um controlo positivo a meldonium, uma substância que toma desde 2006 e que se tornou proibida este ano, assumindo que não tinha visto a lista atualizada de produtos proibidos.

"Se [Sharapova] não lê as cartas da ITF [Federação Internacional de Ténis], os membros da sua equipa deviam fazê-lo. Estão a 'jogar-se' coisas demasiado importantes", disse o antigo jogador ao canal televisivo inglês BBC, recordando que o 'staff' "implica um investimento de cerca de um milhão de dólares" por parte da russa.

Para Jeff Tarango, "toda a equipa é responsável", até porque Sharapova "tem de estar exclusivamente concentrada nos treinos".

"Seria odiável se isto acabasse com a sua carreira e o seu legado", lamentou o norte-americano.

De acordo com a Federação Internacional de Ténis (ITF), a russa foi controlada a 26 de janeiro no Open da Austrália, num teste que revelou a presença do produto proibido, o que já levou a Nike e a TAG Heuer a anunciar a suspensão do relacionamento com Sharapova.

Segundo a ITF, por a substância estar entre as proibidas pela Agência Mundial Antidopagem e pelo seu próprio programa antidoping, Maria Sharapova será suspensa preventivamente a partir de 12 de março, até que o caso esteja resolvido.

A russa, que venceu cinco torneios do 'Grand Slam', foi eliminada nos quartos de final do Open da Austrália, que se disputou no final de janeiro.

  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28
  • Euforia e preocupação no Santiago de Bernabéu
    3:02
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49