sicnot

Perfil

Desporto

Carl Lewis considera "patéticos" atuais desempenho no salto em comprimento

O antigo atleta Carl Lewis, quatro vezes campeão olímpico do salto em comprimento, afirmou hoje que os padrões da especialidade são dos mais baixos de sempre e descreveu como "patético" o desempenho do atual campeão mundial, Greg Rutherford.

© John Kuntz / Reuters

Em conversa com os repórteres à margem do encontro da seleção olímpica, em Los Angeles, Estados Unidos, Lewis fez uma avaliação pessimista do estado do salto em comprimento moderno, considerando-o como "um desporto moribundo".

O antigo saltador, com 54 anos de idade, reservou para a especialidade que o consagrou entre 1984 e 1996, com quatro medalhas olímpicas (ganhou nove, contando com outras modalidades), as mais duras palavras: "O salto em comprimento é o pior evento do mundo, é horrível, atualmente".

"Jesse Owens teria sido terceiro classificado nos últimos Jogos, em Londres, já que a sua melhor marca, conseguida há 80 anos, seria suficientemente boa para isso", disse Carl Lewis.

O norte-americano acusou os atletas de topo do salto em comprimento de não se empenharam o suficiente para ultrapassar um recorde já com 25 anos, conseguido por Mike Powel, em 1991, de 8,95 metros.

E deu o exemplo do britânico Greg Rutherford, que foi medalha de ouro em Londres2012, com a marca de 8,31 metros, abaixo do recorde do mundo: "Alguém quer ir ver saltar só isso?"

"Eles não sabem saltar e nem sequer o estão a tentar fazer melhor porque ganham medalhas, de qualquer forma", afirmou.

E acrescentou: "Eu e o Mike Powel saltávamos quase aos nove metros com regularidade. Mas esta geração? Rutherford? Peço desculpa, mas é patético"

"Estão a brincar comigo? Ele ganha, faz o seu melhor, mas não devia ganhar assim", concluiu.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.