sicnot

Perfil

Desporto

Ex-presidente da federação venezuelana declara-se inocente

Rafael Esquivel, ex-presidente da Federação Venezuelana de Futebol e um dos suspeitos no processo que investiga casos de corrupção na FIFA, declarou-se hoje inocente perante um juiz de Nova Iorque.

Leslie Mazoch

Também antigo vice-presidente da Confederação Sul-americana de Futebol (Conmebol) Rafael Esquivel é suspeito de ter recebido 'luvas' de vários milhões de dólares na atribuição dos direitos de 'marketing' da Copa América.

Detido em Zurique, na Suíça, a 27 de maio do ano passado, com outros seis dirigentes, Rafael Esquivel foi extraditado na segunda-feira para os Estados Unidos, país que lidera a investigação, e foi ouvido no dia seguinte por um juiz.

Numa curta audiência, que durou menos de cinco minutos, Esquivel declarou-se inocente de todas as suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais.

O advogado de Esquivel não solicitou a liberdade condicional para o seu cliente, alegando que ainda era "muito cedo", sendo provável que o faça na próxima audiência, a 13 de abril

A FIFA foi abalada por um escândalo de corrupção em maio de 2015, num processo aberto pela justiça dos Estados Unidos, que levou à acusação de 14 dirigentes e ex-dirigentes.

Lusa

  • Chamas no concelho de Torre de Moncorvo ameaçaram aldeia
    1:30

    País

    Dois incêndios no concelho de Torre de Moncorvo deram luta aos bombeiros na tarde de ontem e também durante toda a noite. As chamas estiveram muito próximas da aldeia de Cabanas de Cima, mas os bombeiros conseguiram desviar o fogo.

  • Se

    Se Jaime Marta Soares tiver razão, se a ciência e as autoridades não forem - outra vez? - manipuladas pelo poder político, se a investigação - independente - concluir que o fogo começou muito antes da trovoada, então, estamos diante de um dos maiores embustes do Portugal democrático.

    Pedro Cruz

  • A reconstrução da Nacional 236
    1:44
  • Harry admite que ninguém na família real britânica quer ser rei ou rainha

    Mundo

    O príncipe Harry admitiu que nenhum dos mais jovens membros da família real britânica quer ser rei ou rainha. Numa entrevista exclusiva à revista norte-americana Newsweek, na qual aborda temas como a morte da mãe, que perdeu com apenas 12 anos, Harry afirma que ele e o irmão estão empenhados em "modernizar a monarquia".

    SIC