sicnot

Perfil

Desporto

Ex-ministra francesa do Desporto acusa Rafael Nadal de doping

A ex-ministra francesa do Desporto Roselyne Bachelot acusou na terça-feira o espanhol Rafael Nadal de se ter dopado e de ser essa a razão para a paragem do tenista por sete meses, em 2012, quando este alegou lesão.

© Marcos Brindicci / Reuters

"Sabe-se que a famosa lesão de Rafael Nadal, quando esteve inativo sete meses, se deve na realidade a um controlo positivo", afirmou a ex-ministra do governo de Nicolas Sarkozy num canal televisivo francês, acrescentando que a lesão no tendão rotuliano do joelho esquerdo era fictícia.

Responsável pela pasta de Saúde e Desporto, entre 2007 e 2010, Bachelot mostrou-se convicta de que as lesões prolongadas no ténis derivam de controlos positivos.

"Quando vês um jogador de ténis que para durante vários meses, é porque teve um controlo positivo. No ténis não se revelam resultados de doping, mas depois divulgam-se as longas lesões que deixam os jogadores muito tempo fora de prova", finalizou a ex-ministra francesa, em mais um episódio de acusações do país ao atleta de Maiorca.

Rafael Nadal detém o recorde de vitórias em Roland Garros, com nove triunfos, cinco deles consecutivos, e tinha garantido na quarta-feira "estar limpo e longe da tentação de fazer alguma coisa errada", afirmando que a russa Maria Sharapova, que acusou doping no último Open da Austrália, foi vítima de um "erro, mas que deveria ser punida".

"Quero acreditar que se tratou apenas de um erro e que Sharapova não o quis fazer de forma consciente. É um caso de negligência e deve ser punida", comentou na quarta-feira o atual número cinco do 'ranking' mundial.

O ex-número um mundial voltou a declarar-se inocente das acusações de doping lançadas em 2012 pela imprensa francesa, que apontavam os controlos positivos para o sucesso dos atletas espanhóis em várias modalidades, depois de Richard Gasquet, em 2009, ter sido suspenso provisoriamente por uso de cocaína.

Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.