sicnot

Perfil

Desporto

Ministro russo afirma que doping tem sido tema politizado no país

O ministro russo do Desporto, considerou hoje que o tema da dopagem entre atletas russos, que esta semana voltou à ribalta por vários casos de utilização da substância meldonium, tem sido politizado.

Pavel Golovkin

"A situação em torno do doping tem sido politizada e é artificial, é impossível fazer batota: os desportistas estão sob um controlo total", afirmou Vitali Muktó durante uma reunião do conselho do desporto russo, um órgão consultivo que integra personalidades ligadas ao desporto.

Mutkó admitiu que os recentes oito casos positivos em que foi detetado meldonium, entre os quais o da tenista Maria Sharapova, podem ser "presenças residuais nas amostras".

"No que se refere ao meldonium é difícil tirar conclusões. Já se percebeu que era um erro considerar que o organismo eliminava a substância em seis dias. A proibição foi decretada em janeiro, mas há resultados de dezembro", referiu.

O meldonium passou a fazer parte da lista de substâncias proibidas desde 01 de janeiro, inserido no capítulo "Hormonas e moduladores metabólicos".

Mutkó referiu que os médicos russos consideram que o meldonium é uma substância que demora muito mais tempo a ser eliminada: "Há elementos residuais que se conservam no organismo por mais de 100 dias".

No entanto, o ministro considerou que o país deve implementar um sistema de sanções contra o doping.

Em novembro de 2015, a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) suspendeu provisoriamente o atletismo russo de competições internacionais depois da Agência Mundial Antidopagem (AMA) ter difundido um relatório no qual denunciou um esquema sem precedentes, que envolvia até membros do próprio Estado.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras