sicnot

Perfil

Desporto

Nadal está "cansado" das suspeitas de doping e pede "que se faça justiça"

O tenista espanhol Rafael Nadal disse no sábado estar "cansado" das suspeitas de doping que recaem sobre si e pediu "que se faça justiça" depois das acusações da ex-ministra francesa do Desporto Roselyne Bachelot.

© Naseem Mohammed Bny Huthil /

"Trabalhei arduamente em toda a minha carreira para conseguir os êxitos que tenho conseguido. Estou cansado de tudo isto e quero que se faça justiça", disse o atual número cinco do 'ranking' mundial à agência AFP.

Na terça-feira, durante um programa num canal televisivo francês, Bachelot acusou Nadal de se ter dopado e de ser essa a razão para a paragem do tenista por sete meses, em 2012, quando este alegou lesão.

"Eu? Podem perguntar à ITF [Federação Internacional de Ténis], ou à AMA [Agência Mundial Antidopagem]. Podem perguntar a toda a gente. Nunca me dopei nem nunca o farei", assegurou o ex-número um mundial, que disputa o torneio de Indian Wells, nos Estados Unidos.

Ainda no 'rescaldo' da notícia do controlo positivo da russa Maria Sharapova, que acusou doping no último Open da Austrália, Nadal assegurou que o ténis "é um desporto limpo".

"O nosso desporto não está a encobrir atletas que recorrem ao doping. Estou farto [das suspeitas]", insistiu o espanhol.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.