sicnot

Perfil

Desporto

Aprovada redução da II Liga para 20 equipas em 2017/18

Os clubes da I e da II Liga aprovaram hoje a proposta da direção da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) para a redução do segundo escalão para 20 clubes em 2017/18.

Na atual temporada, a II Liga vai passar de 24 para 22 equipas, com a descida de cinco conjuntos ao Campeonato de Portugal, do qual vão subir três.

De acordo com a decisão tomada em Assembleia-Geral, o segundo escalão passará a ter 20 equipas em 2017/18, com a época anterior a ser de transição, com a descida de quatro equipas da II Liga e subida das vencedoras das zonas Sul e Norte do Campeonato de Portugal.

Na mesma época, será ainda disputado um play-off entre os 17.º e 18.º classificados da II Liga e os segundos classificados de cada uma das zonas do terceiro escalão, uma eliminatória que dará duas vagas na segunda competição profissional.

Nas épocas seguintes, os clubes aceitaram um formato que consiste na descida de dois conjuntos da II Liga e consequente subida de outros dois do primeiro escalão não profissional.

Pinto da Costa foi o único presidente dos clubes grandes que marcou presença na sede da Liga, sendo que Benfica e Sporting fizeram-se representar por Paulo Gonçalves e Patrícia Silva Lopes, respetivamente.

Além destes participaram ainda na Assembleia geral mais quatro presidentes de clubes do principal escalão: Júlio Mendes, do Vitória de Guimarães, António da Silva Campos, do Rio Ave, Álvaro Braga Júnior, do Boavista, e José Eduardo Simões, da Académica.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15