sicnot

Perfil

Desporto

Futebolista Max Kruse afastado da seleção alemã devido a indisciplina

O selecionador de futebol da Alemanha, Joachim Löw, afastou esta segunda-feira o avançado Max Kruse da convocatória a Alemanha para os jogos particulares com Inglaterra e Itália, devido a atos de indisciplina do jogador no Wolfsburgo.

© Reuters Staff / Reuters

"Max comportou-se repetidamente de forma pouco profissional. E isso é algo que não aceito", começou por justificar o técnico da equipa germânica.

Löw acrescentou que quer jogadores que se concentrem no futebol e no Europeu, também no tempo livre que têm, e que os acontecimentos do fim de semana vão contra aquilo que espera dos futebolistas.

No sábado à noite, após o empate do Wolfsburgo com o Darmstadst (1-1), o jogador viajou até Berlim para festejar o seu aniversário numa discoteca e tirou o telemóvel a uma mulher que lhe tirou uma fotografia.

A situação ganhou contornos públicos devido ao facto de ser uma jornalista do jornal Bild.

Kruse acabou por pedir desculpas à jornalista, mas foi multado pelo Wolfsburgo pela segunda vez em duas semanas.

"O Europeu aproxima-se e temos grandes objetivos com a seleção. Queremos jogadores que estejam concentrados e estejam conscientes de que têm que ter um comportamento modelo", justificou o selecionador alemão.

A Alemanha defronta a Inglaterra no sábado e a Itália a 29 de março, em jogos de preparação para o Euro2016.

Lusa

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • CIP contra 600€ de salário mínimo, ameaça boicatar iniciativas do governo
    1:28

    Economia

    O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) está contra o aumento do salário mínimo para 600€. Em entrevista conjunta à Antena1 e ao Jornal de Negócios, o presidente António Saraiva considerou a proposta "uma luta partidária" dos comunistas com o Bloco de Esquerda" e ameaça boicotar a presença em iniciativas publicas, promovidas pelo executivo.