sicnot

Perfil

Desporto

Nadadora Yulia Efimova, acusada de consumo de meldonium, diz que provará inocência

A nadadora olímpica russa Yulia Efimova rejeitou hoje a acusação de consumo de meldonium, substância proibida pela Agência Mundial Antidoping (AMA), e assegurou que irá provar a sua inocência.

© USA Today Sports / Reuters

"Rejeito categoricamente a acusação e doping. Estamos a preparar a audição relativa ao meu caso e esperamos provar que não violei nenhum regulamento antidoping", afirmou, num vídeo que publicou na sua página da rede social Facebook.

Yuklia Efimova foi suspensa provisoriamente este mês pela Federação Internacional de Natação (FINA), por "possível violação das regras antidoping" e poderá ser irradiada.

"Recebemos da FINA documentação que confirma a suspensão, devido a uma possível violação das regras antidoping", referiu então a federação russa da modalidade, garantindo já ter pedido esclarecimentos sobre o assunto.

A imprensa russa adianta que Yulia Efimova, medalha de bronze nos 200 metros bruços dos Jogos Olímpicos Londres2012 e detentora de quatro títulos mundiais, terá acusado consumo de meldonium.

A nadadora, de 23 anos, já tinha tido um controlo positivo em 2014, pelo qual foi punida com 16 meses de suspensão, pelo que corre o risco de ser irradiada, caso tenha um segundo controlo positivo.

O meldonium (ou mildronate) é um fármaco, proibido na Europa Ocidental e nos Estados Unidos, recomendado para combater a insuficiência cardiovascular e permite que o coração suporte grandes cargas de trabalho físico ou intelectual.

No entanto, a AMA decidiu proibi-lo a 01 de janeiro deste ano, após receber dados alarmantes que confirmavam o seu uso recorrente por parte de desportistas profissionais nos países resultantes do desmembramento da União Soviética.

O escândalo do consumo de meldonium foi espoletado por um controlo positivo da tenista russa Maria Sharapova, que assumiu consumir a substância desde 2006.

Entretanto, vários atletas russos tiveram também resultados positivos por consumo de meldonium.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras