sicnot

Perfil

Desporto

Nadadora Yulia Efimova, acusada de consumo de meldonium, diz que provará inocência

A nadadora olímpica russa Yulia Efimova rejeitou hoje a acusação de consumo de meldonium, substância proibida pela Agência Mundial Antidoping (AMA), e assegurou que irá provar a sua inocência.

© USA Today Sports / Reuters

"Rejeito categoricamente a acusação e doping. Estamos a preparar a audição relativa ao meu caso e esperamos provar que não violei nenhum regulamento antidoping", afirmou, num vídeo que publicou na sua página da rede social Facebook.

Yuklia Efimova foi suspensa provisoriamente este mês pela Federação Internacional de Natação (FINA), por "possível violação das regras antidoping" e poderá ser irradiada.

"Recebemos da FINA documentação que confirma a suspensão, devido a uma possível violação das regras antidoping", referiu então a federação russa da modalidade, garantindo já ter pedido esclarecimentos sobre o assunto.

A imprensa russa adianta que Yulia Efimova, medalha de bronze nos 200 metros bruços dos Jogos Olímpicos Londres2012 e detentora de quatro títulos mundiais, terá acusado consumo de meldonium.

A nadadora, de 23 anos, já tinha tido um controlo positivo em 2014, pelo qual foi punida com 16 meses de suspensão, pelo que corre o risco de ser irradiada, caso tenha um segundo controlo positivo.

O meldonium (ou mildronate) é um fármaco, proibido na Europa Ocidental e nos Estados Unidos, recomendado para combater a insuficiência cardiovascular e permite que o coração suporte grandes cargas de trabalho físico ou intelectual.

No entanto, a AMA decidiu proibi-lo a 01 de janeiro deste ano, após receber dados alarmantes que confirmavam o seu uso recorrente por parte de desportistas profissionais nos países resultantes do desmembramento da União Soviética.

O escândalo do consumo de meldonium foi espoletado por um controlo positivo da tenista russa Maria Sharapova, que assumiu consumir a substância desde 2006.

Entretanto, vários atletas russos tiveram também resultados positivos por consumo de meldonium.

Lusa

  • Os efeitos dos incêndios na natureza
    2:46

    País

    Cheias frequentes, erosão dos solos e contaminação dos rios e albufeiras são as previsões unânimes da comunidade científica para os próximos tempos, na sequência dos incêndios florestais. À SIC, o hidrobiólogo Adriano Bordalo Sá e o investigador de recursos florestais Rui Cortes alertam: é necessário começar a tratar da terra queimada o mais rapidamente possível.

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta esta terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • O preconceito em relação aos transexuais
    34:09
  • "Isto destrói famílias"
    0:46
  • Falta de gado ameaça produção do queijo da Serra da Estrela
    3:35

    País

    A devastação provocada pelos últimos incêndios foi um rude golpe na economia da região Centro do país. Algumas empresas já começaram os trabalhos de reconstrução, mas os produtores de gado temem não conseguir repôr os animais, deixando em risco a produção do queijo Serra da Estrela.

  • Eurodeputados homenageiam vítimas dos fogos
    1:38

    País

    A União Europeia vai doar os 50 mil euros do prémio Princesa das Astúrias às populações afetadas pelos incêndios em Portugal e Espanha. A Comissão Europeia continua a avaliar o pedido ao Fundo Europeu de Solidariedade, mas o pedido deverá ainda ser atualizado para incluir os prejuízos causados pelos incêndios da semana passada.