sicnot

Perfil

Desporto

Uruguai interessado na organização do Mundial de 2030 com a Argentina

O presidente do Uruguai, Tabaré Vasquez, transmitiu hoje formalmente ao presidente da FIFA, Gianni Infantino, o desejo do seu país de organizar em conjunto com a Argentina o Mundial de Futebol de 2030.

© Nacho Doce / Reuters

Em conferência de imprensa, o chefe do Estado uruguaio lembrou que o primeiro mundial da história foi realizado no Uruguai em 1930, que venceu na final a Argentina por 4-2.

Na ocasião, o recém-eleito presidente da FIFA -- que está a realizar um périplo por vários países sul-americanos - indicou que a organização está para já focada no processo de atribuição do Mundial de 2026.

"Na FIFA, a prioridade vai agora claramente para 2026. Mas é muito positivo que exista este interesse por parte de dois países que escreveram a história do futebol", declarou.

O Uruguai e a Argentina anunciaram no início de janeiro a intenção de apresentar uma candidatura conjunta à organização do Campeonato do Mundo de 2030 de futebol.

"Decidimos que não há melhor oportunidade para nos comprometermos a organizar esta competição do que em 2030, quando se assinala uma data tão importante como 100 anos desde o primeiro Campeonato do Mundo. A sede desse Mundial tem que ser aqui", afirmou então o presidente argentino, Maurício Macri, numa declaração realizada em Colonia, no sul do Uruguai.

Com o presidente do Uruguai ao seu lado, Macri assumiu que ainda "faltam muitos anos" para esse Campeonato do Mundo e explicou que a decisão foi tomada agora para "que tudo seja perfeito e corra pelo melhor".

"No passado, na nossa história, por termos que improvisar e por não estarmos preparados para certas situações, passámos por alguns problemas. Queremos preparar tudo da melhor forma e quanto mais cedo começarmos, melhor", referiu o antigo líder Boca Juniors, entre 1996 e 2008.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.