sicnot

Perfil

Desporto

Guardiola compreende queixas do Benfica quanto à arbitragem

Pep Guardiola disse hoje compreender as queixas do Benfica relativamente à arbitragem do jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol e reconheceu que o Bayern Munique está focado em ganhar.

© Michael Dalder / Reuters

Questionado sobre o descontentamento dos 'encarnados' com a arbitragem no encontro da primeira mão, em Munique, o treinador do Bayern Munique 'disparou': "Posso compreender as queixas."

"O resultado do primeiro jogo tem pouca influência neste jogo. Estamos focados em defender bem, vamos tentar jogar o melhor possível, marcar um golo e passar à próxima ronda", resumiu.

Depois de uma longa espera -- a conferência de imprensa começou com mais de uma hora de atraso -, o treinador do Bayern Munique surgiu no estádio da Luz com a lição bem estudada: "Conhecemos melhor a equipa do Benfica agora. Levamos muito tempo de trabalho, conhecemo-nos bem e sabemos o que podemos retirar de cada jogador."

"Sempre disse que temos de jogar bem para alcançar resultados. É preciso mentalidade e dedicação. O resultado é consequência da forma de jogar. Temos de trabalhar para vencer o jogo amanhã [quarta-feira]", completou.

Guardiola mostrou empatia pela posição de Rui Vitória diante das ausências de Jonas e Gaitán, recordando que conhece bem a situação, uma vez que teve Javi Martínez lesionado durante cinco meses.

Convidado a eleger qual dos adversários, Benfica ou FC Porto, é mais forte, o espanhol assegurou que as duas equipas são "muito boas".

"O Benfica tem uma equipa muito boa, com bons jogadores. O FC Porto também tinha no ano passado. Lamento que [Julen] Lopetegui já não esteja lá, porque fez um bom trabalho", defendeu.

O jogo entre o Benfica e o Bayern Munique está agendado para as 19:45 de quarta-feira, no estádio da Luz, numa partida que será dirigida pelo holandês Bjorn Kuipers.

Lusa

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.