sicnot

Perfil

Desporto

Mais de 40% dos ex-jogadores de futebol americano têm uma lesão cerebral

Mais de 40% dos ex-jogadores da liga de futebol americano dos Estados Unidos (NFL) mostram sinais de lesões cerebrais, revela um estudo da Academia Americana de Neurologia, divulgado na segunda-feira.

© Brendan McDermid / Reuters

Trata-se de um dos maiores estudos sobre o fenómeno até à data e um dos primeiros a apresentar provas objetivas das lesões cerebrais nos antigos jogadores, indicou Francis Conidi, investigador da Universidade da Florida.

"O rácio de lesões cerebrais traumáticas é significativamente superior nos jogadores comparativamente à população em geral", apontou Conidi referindo-se aos resultados do estudo, que vai ser formalmente apresentado na próxima sexta-feira, no 68.º encontro anual da Academia Americana de Neurologia em Vancouver (Canadá).

Para o estudo, os investigadores recolheram imagens por ressonância magnética e realizaram exames de memória a 40 ex-jogadores da NFL, com uma média de idades de 36 anos, na sua maioria afastados da prática da modalidade há menos de cinco anos e que jogaram em média sete anos na liga.

As imagens da ressonância magnética mostram que 17 ex-jogadores (43%) apresentavam níveis de danos na substância branca do cérebro, que conecta as distintas regiões cerebrais, muito superiores aos das pessoas sãs da mesma faixa etária, o que é considerado uma prova de lesão cerebral traumática.

Por outro lado, metade dos antigos jogadores tem problemas significativos no desempenho da função executiva, 45% na aprendizagem ou memória e 42% na capacidade de atenção e concentração.

Os investigadores também concluíram que quanto mais tempo um jogador passa na NFL maiores se afiguram as possibilidades de vir a sofrer de uma lesão cerebral traumática.

Este estudo também pode ajudar os cientistas a compreender melhor a encefalopatia traumática crónica associada à demência, depressão e suicídio.

A NFL tem sido fortemente criticada por ter durante um longo período de tempo subestimado o impacto dos choques físicos na saúde dos jogadores.

Essa problemática é o tema do filme recente "Concussion" ("Concussão") que tem Will Smith como protagonista.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18